Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Data Warehousing do SQL Server nas Máquinas Virtuais do Azure

Atualizado: novembro de 2014

Use uma imagem de data warehouse otimizado nas Máquinas Virtuais do Azure para melhorar o desempenho das cargas de trabalho do data warehousing em até 20% sobre as imagens de máquina virtual não otimizada do SQL Server Enterprise.

noteObservação
Estas informações são aplicáveis a imagens criadas antes de 22/06/2014.

As instruções para provisionamento, configuração e uso de uma imagem de data warehouse otimizado são ligeiramente diferentes das instruções para imagens do SQL Server Enterprise. Este tópico descreve como provisionar e usar um data warehouse otimizado criado em uma das seguintes imagens do SQL Server Enterprise na galeria de Máquinas Virtuais do Azure:

  • SQL Server 2012 SP1 for Data Warehousing on WS 2012

  • SQL Server 2014 CTP2 Evaluation for Data Warehousing on WS 2012

Neste tópico:

Use o seguinte script do PowerShell para provisionar uma imagem de warehouse de dados otimizada. O script do PowerShell provisiona a máquina virtual e anexa os discos.

Para um melhor desempenho:

  • Escolha Tamanho A6 para a imagem do SQL Server 2012.

  • Escolha Tamanho A7 para a imagem do SQL Server 2014.

  1. Antes de começar, verifique se os seguintes pré-requisitos estão sendo atendidos:

    • Uma assinatura ativa válida do Azure

    • Versão 3 ou posterior do Powershell do Azure, que está na seção de ferramentas de linha de comando em Downloads do Azure.

  2. Baixar o arquivo New-AzureSqlDwIaasVM.zip na página Implantar um Data Warehouse do SQL Server nas Máquinas Virtuais do Azure no Centro de Geração de Script do Azure.

  3. No Windows Explorer, clique com o botão direito do mouse em New-AzureSqlDwIaasVM.zip e escolha Extrair todas… Extraia todos os arquivos no diretório em que executará o script. O arquivo zip contém os arquivos:

    • New-AzureSqlDwIaasVM.ps1

    • New-AzureSqlDwIaasVM_DwIaasConfigGeneral.xml

  4. Execute o script usando os parâmetros e os exemplos descritos no uso do script.

  5. Para solucionar problemas no script New-AzureSqlDWDWIaasVM.ps1, consulte o arquivo ProvisionDetail.log. Ele está localizado no cliente Windows na mesma pasta em que o script é executado.

  6. Antes de usar a máquina virtual, algumas etapas adicionais serão necessárias. Você precisa verificar se as otimizações do data warehousing foram concluídas com êxito e definir Replicação geográfica como DESATIVADA. Para concluir a configuração, execute as etapas 2 e 3 em Concluir a instalação para data warehouse do SQL Server em Máquinas Virtuais do Azure.

Para obter um alto desempenho no data warehouse do SQL Server, recomendamos as opções de configuração a seguir.

  • Use a compactação de página para seus dados. Isso está em conformidade com a especificação Fast Track para data warehouses de até 400 GB.

  • Use apenas um arquivo por grupo de arquivos para evitar a distribuição em vários níveis que pode prejudicar o desempenho da taxa de transferência.



  • Use pools de armazenamento do Windows Server para expor vários discos de dados ao SQL Server como um único ponto de montagem c:\Mount\Data. Para usar o ponto de montagem, armazene os arquivos do banco de dados em c:\Mount\Data, que também é o local padrão dos objetos de banco de dados.

  • Para a maioria dos bancos de dados com menos de 1 TB, use um grupo de arquivos e armazene-o em c:\Mount\Data. Esse é o local de arquivo padrão. Para usar um local diferente, você precisa anexar um disco diferente ou criar especificamente um arquivo na unidade c:, d: ou e: .

Para obter benefícios adicionais, você pode explorar usando vários grupos de arquivos para:

  • Carregar dados com mais rapidez, carregando várias tabelas ou partições ao mesmo tempo. Colocar essas tabelas em grupos de arquivos separados impedirá a fragmentação durante as cargas paralelas.

  • Usar a técnica de janela deslizante para arquivar partições de dados.

  • Armazenar dados preparados separadamente dos dados de produção.

  • Armazenar dados de alteração rápida e dados de alteração lenta em lugares diferentes.

O exemplo a seguir cria um banco de dados com vários grupos de arquivos. Cada grupo de arquivos tem um arquivo, e todos os arquivos estão localizados no ponto de montagem c:\Mount\Data dos Pools de Armazenamento do Windows.

--If you want to explore multiple filegroups, this shows how to
-create a database with multiple filegroups, one file per filegroup, and 
--all files stored under the Windows Server Storage Pools mount point C:\Mount\Data.
IF EXISTS ( SELECT name from master.dbo.sysdatabases WHERE name = 'DWDB') 
     DROP DATABASE DWDB 
     GO
     CREATE DATABASE DWDB ON 
         PRIMARY (
              NAME          = DWDB_root, 
              FILENAME      = 'C:\Mount\Data\DWDB\DWDB_root.mdf', 
              SIZE          = 10MB, 
              FILEGROWTH    = 1GB), 
         FILEGROUP FACT_TABLES (      
              NAME          = FACT_TABLES1,
              FILENAME      = 'C:\Mount\Data\DWDB\DWDB_fact_tables1.mdf',
              SIZE          = 300GB,
              FILEGROWTH    = 1GB),
        FILEGROUP NONVOLATILE_FG (      
              NAME          = NONVOLATILE_FG1, 
              FILENAME      = 'C:\Mount\Data\DWDB\DWDB_load1.mdf',
              SIZE          = 100GB,
              FILEGROWTH    = 1GB)
        LOG ON (      
              NAME              = DWDB_log1, 
              FILENAME             = 'C:\Mount\Data\DWDB\DWDB_log1.ldf',
              SIZE                 = 25GB,
              FILEGROWTH           = 1GB)

Antes de transferir os dados, o SQL Server local e a máquina virtual na nuvem devem ser capazes de se reconhecerem como se fizessem parte da mesma rede.

Migrando para o SQL Server em uma Máquina Virtual do Azure descreve várias opções para migração dos dados para a máquina virtual.

Para uma transferência de dados eficiente, é recomendável usar uma conexão VPN ponto a site ou site a site. Os dois tipos de conexão são eficientes. A conexão VPN ponto a site é uma VPN direta entre o SQL Server local e a nuvem, e é mais fácil de configurar do que a conexão site a site. Usando a conexão site a site, você pode expandir o domínio para a nuvem; isso poderá ser difícil se a empresa tiver uma grande infraestrutura de TI. A configuração site a site também requer um hardware específico e a ajuda da equipe de TI.

Para obter mais informações, consulte Tarefas de configuração da rede virtual do Azure no MSDN. Nesse tópico, consulte Configurar uma VPN site a site no Portal de Gerenciamento ou Configurar uma VPN site a site no Portal de Gerenciamento.

Para migrar dados do local para a máquina virtual, use o utilitário BCP ou o SSIS (SQL Server Integration Services). Essas ferramentas usam operações de inserção em massa para mover os dados rapidamente. Usando o SSIS em combinação com a conectividade ponto a site ou site a site, você poderá aproveitar os pacotes existentes do SSIS para carregar dados ou executar pacotes ETL existentes depois que o banco de dados estiver em execução. Se você já estiver usando pacotes SSIS para implantar uma banco de dados de produção, também poderá usá-los para implantar o data warehouse na nuvem.

Para obter mais informações, consulte Tarefas de configuração da rede virtual do Azure no MSDN.

Para restaurar um backup de banco de dados, use Restaurar (Transact-SQL) e a opção WITH MOVE. A restauração de um backup de banco de dados em um volume Espaços de Armazenamento do Windows simplifica esse procedimento para bancos de dados que têm layouts complexos locais de arquivo e grupo de arquivos (por exemplo, arquivos diferentes em volumes diferentes). Você pode simplesmente mover todos os arquivos para esse volume único (usando a opção WITH MOVE) e permitir que os Espaços de Armazenamento distribuam operações de E/S entre discos.

A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site do MSDN. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site do MSDN.

Deseja participar?
Mostrar:
© 2015 Microsoft