VENDAS: 1-800-867-1389

Resolução de nomes (DNS)

Atualizado: dezembro de 2014

A resolução de nome é usada quando você quer se referir a VMs e instâncias de função pelo nome de host ou FQDN diretamente, e não pelo número da porta e endereço IP. Antes de implantar as instâncias de função ou máquinas virtuais, você deve considerar como deseja lidar com a resolução de nomes. Há duas opções disponíveis. Você pode usar a resolução de nomes interna fornecida pelo Azure ou pode escolher para especificar um servidor DNS que não seja mantido pelo Azure. Nem todas as opções de configuração estão disponíveis para cada tipo de implantação. Considere cuidadosamente seu cenário de implantação antes escolher.

Para informações detalhadas sobre resolução de nomes que o Windows Azure fornece, consulte Resolução de nomes fornecida pelo Azure. Para obter informações detalhadas sobre como usar sua própria solução DNS, consulte Resolução de nomes usando seu próprio servidor DNS.

A tabela a seguir ilustra os cenários e as soluções de resolução de nomes correspondentes:

 

Cenário Resolução de nomes fornecida por: Para obter mais informações, consulte:

Resolução de nomes entre as instâncias de função localizadas no mesmo serviço de nuvem

Resolução de nomes fornecidos pelo Azure (interna)

Resolução de nomes entre as VMs localizadas no mesmo serviço de nuvem

Resolução de nomes fornecidos pelo Azure (interna)

Resolução de nomes entre as VMs localizadas na mesma rede virtual

Solução de DNS de sua escolha (não fornecida pelo Azure)

ou

Para a resolução que usa o FQDN, você pode usar a resolução de nomes fornecidos pelo Azure para os primeiros 100 serviços de nuvem da rede virtual

Resolução de nomes entre VMs e instâncias de função localizadas na mesma rede virtual, mas em serviços de nuvem diferentes

Solução de DNS de sua escolha (não fornecida pelo Azure)

ou

Para a resolução que usa o FQDN, você pode usar a resolução de nomes fornecidos pelo Azure para os primeiros 100 serviços de nuvem da rede virtual

Resolução de nomes entre VMs e instâncias de função localizadas no mesmo serviço de nuvem, e não em uma rede virtual

Não aplicável. As VMs e instâncias de função não podem ser implantadas no mesmo serviço de nuvem.

Não aplicável.

Resolução de nomes entre instâncias de função localizadas em serviços de nuvem diferentes, mas não em uma rede virtual

Não aplicável. A conectividade entre VMs e instâncias de função em diferentes serviços de nuvem não tem suporte fora de uma rede virtual.

Não aplicável.

Entre instalações: Resolução de nomes entre instâncias de função ou VMs no Azure e em computadores no local

Solução de DNS de sua escolha (não fornecida pelo Azure)

Entre instalações: Resolução de nomes entre computadores no local e instâncias de função ou VMs no Azure

Solução de DNS de sua escolha (não fornecida pelo Azure)

Uso de resolução de nomes para direcionamento de tráfego direto entre data centers

Traffic Manager

Resolução de nomes entre computadores na internet e seus pontos de extremidade públicos

Resolução de nomes fornecidos pelo Azure (externa)

Esta solução não é abordada no contexto deste tópico.

A resolução de nomes fornecida pelo Azure fornece a resolução de nome de host para VMs e instâncias de função presentes no mesmo serviço de nuvem. Esse serviço é separado do serviço que trata nomes acessíveis voltados para o público externamente.

Ainda que a resolução de nomes fornecida pelo Azure exija muito pouca configuração, ela não é a opção apropriada para todas as implantações. Caso sua rede exija a resolução de nomes pelos serviços de nuvem, você precisará usar seu próprio servidor DNS. Por exemplo, se você tiver duas VMs localizadas na mesma rede virtual, é preciso usar sua própria solução de servidor DNS para que elas se comuniquem diretamente pelo nome do host. Se precisar da resolução de nomes entre locais ou se desejar listar registros DNS adicionais por sua conta, você precisará usar sua própria solução DNS, e não a solução fornecida pelo Azure. Para obter mais detalhes, consulte Recursos e considerações.

noteObservação
No caso das funções Web e de trabalho, você também pode acessar os endereços IP internos das instâncias de função baseadas no nome da função e o número da instância usando a API de tempo de execução do Azure. Para mais informações, consulte a biblioteca de classes de tempo de execução do Azure.


Recursos:

  • Facilidade de uso: Pouca ou nenhuma configuração é necessária para usar o serviço DNS fornecido pelo Azure.

  • A resolução de nome de host é fornecida entre as instâncias de função no mesmo serviço de nuvem.

  • A resolução de nome de host é fornecida entre as máquinas virtuais no mesmo serviço de nuvem.

  • A resolução de nomes é fornecida entre máquinas virtuais na mesma rede virtual, mas em serviços de nuvem diferentes. (FQDN)

  • Você pode criar os nomes de host que descreverão melhor suas implantações, ao invés de trabalhar com nomes gerados automaticamente.

  • As pesquisas padrão de DNS são suportadas.

Considerações:

  • A resolução de nomes entre redes virtuais não está disponível.

  • O uso de vários nomes de host para a mesma máquina virtual ou instância de função não é suportado.

  • A resolução de nomes entre instalações não está disponível.

  • Os registros de pesquisas inversas (PTR) não estão disponíveis.

  • O sufixo DNS criado pelo Azure não pode ser modificado.

  • Você não pode registrar manualmente seus próprios registros no DNS fornecido pelo Azure.

  • WINS e NetBIOS não são suportados. (Você não pode listar suas máquinas virtuais no navegador de rede no Windows Explorer.)

  • Os nomes de host devem ser compatíveis com DNS (eles devem usar somente 0-9, a-z e "-" e não podem começar ou terminar com um "-". Consulte a seção 2 do RFC 3696).

  • O tráfego de consulta de DNS é limitado pela VM. Se seu aplicativo executa consultas frequentes de DNS em vários nomes de destino, é possível que algumas consultas atinjam o tempo limite. Uma solução alternativa possível é reduzir o tráfego de consulta de DNS de cada VM e tentar a pesquisa novamente.

Se seus requisitos de resolução de nomes forem além dos recursos disponíveis no servidor DNS fornecido pelo Azure, você tem a opção de usar seu próprio servidor DNS.

noteObservação
Você pode escolher especificar um servidor DNS fornecido por terceiros. Uma solução externa pode não oferecer suporte às suas VMs ou instâncias de função. Na maioria dos casos, uma solução externa deve ser evitada, exceto por situações específicas onde você precisa apenas da resolução de nomes de nomes DNS externos.

Se você planeja usar uma resolução de nomes que não é fornecida pelo Azure, o servidor DNS que especificado deve oferecer suporte ao seguinte:

  • O servidor DNS deve aceitar o registro dinâmico de DNS através de DNS dinâmico (DDNS).

  • O servidor DNS deve ter a limpeza de registro desativada. Os endereços IP do Azure têm concessões longas, o que pode levar à remoção de registros no servidor DNS durante a limpeza.

  • O servidor DNS deve ter a recursão ativada.

  • O servidor DNS deve ser acessível (na porta 53 de TCP/UDP) pelos clientes que solicitarem a resolução de nomes e pelos serviços e máquinas virtuais que registrarão seus nomes.

É importante entender que as listas de servidores DNS não funcionam no modo round robin. Os servidores DNS serão usados na ordem em que foram especificados. Se o primeiro servidor DNS na lista puder ser acessado, o cliente usará esse servidor DNS, independentemente de o servidor DNS estar funcionando corretamente ou não. Por esse motivo, verifique se seus servidores DNS estão listados na ordem correta para seu ambiente.

Se você usou o Portal de Gerenciamento ou um arquivo de Configuração de Rede para criar sua rede virtual e deseja editar as configurações de DNS que especificou, após fazer as alterações na rede virtual, você deverá reiniciar cada máquina virtual. Reiniciar a máquina virtual permite registrar as novas configurações de DNS. Se você não reiniciar as máquinas virtuais, elas continuarão usando as configurações do servidor DNS que estavam em vigor antes das alterações.

O Portal de Gerenciamento pode ser usado para definir configurações de DNS ao criar uma rede virtual. Ao criar uma rede virtual usando o Portal de Gerenciamento, você está usando o portal para criar um arquivo Configuração de Rede, embora não veja o arquivo, a menos que o exporte. Se preferir trabalhar com o arquivo de Configuração de Rede diretamente (não no Portal de Gerenciamento), talvez você queira criar sua rede virtual inicial no Portal de Gerenciamento e exportar o arquivo para ser usado como um modelo de arquivo de rede virtual.

Ao criar sua rede virtual usando o Portal de Gerenciamento, você pode especificar o endereço IP e o nome do servidor (ou servidores) DNS que desejar usar. Após a criação da rede virtual, as máquinas virtuais e funções implantadas na rede virtual serão configuradas automaticamente com suas configurações especificadas de DNS. Para obter mais informações sobre a definição das configurações da Rede Virtual do Azure, consulte Sobre a configuração de uma rede virtual no Portal de Gerenciamento (a página pode estar em inglês).

Você pode especificar servidores DNS usando arquivos de configuração ao criar uma rede virtual ou ao implantar funções. Há dois arquivos diferentes nos quais você pode especificar um servidor DNS: o arquivo Configuração de Rede e o arquivo Configuração de Serviço. Selecione o arquivo de configuração apropriado com base em suas necessidades de resolução de nomes.

Por exemplo, para criar e configurar uma rede virtual, você provavelmente desejará usar o arquivo de configuração de rede. Ao especificar as configurações de DNS no arquivo de configuração de rede, qualquer função ou máquina virtual implantada na rede virtual será configurada automaticamente com essas configurações de DNS.

Se você não pretende usar uma rede virtual, ou se está usando uma rede virtual e deseja especificar configurações de DNS diferentes para um serviço de nuvem específico dentro da rede, pode especificar essas configurações no arquivo de configuração de serviço. As configurações no arquivo de configuração de serviço têm precedência em relação às configurações no arquivo de configuração de rede.

Se você planeja criar uma rede virtual, pode especificar as configurações do servidor DNS no arquivo de configuração de rede. Após a criação da rede virtual, as máquinas virtuais ou instâncias de função implantadas na rede virtual serão configuradas automaticamente com o DNS. Para obter mais informações sobre o arquivo de Configuração de Rede, consulte Esquema de configuração da Rede Virtual do Azure e Configurar uma rede virtual usando arquivos de configuração de rede.

noteObservação
Para especificar esta configuração para o elemento de Sites da rede virtual, ela deve ser definida primeiro no elemento de DNS do arquivo de configuração de rede. O nome DnsServerRef no elemento de Sites da rede virtual deve se referir a um valor de nome especificado no elemento de DNS para o nome DnsServer.

Se você não pretende usar uma rede virtual, ou se está usando uma rede virtual e deseja especificar configurações de DNS diferentes para um serviço de nuvem específico dentro de uma rede virtual, pode especificar essas configurações no arquivo de configuração de serviço. As configurações no arquivo de configuração de serviço têm precedência em relação às configurações no arquivo de configuração de rede. Você também pode usar o arquivo de Configuração de Serviço para modificar as configurações do servidor DNS para as funções Web e de trabalho.

Para obter mais informações sobre o arquivo de configuração de serviço, consulte Esquema de configuração de serviço do Azure.

Consulte também

Isso foi útil para você?
(1500 caracteres restantes)
Agradecemos os seus comentários
A Microsoft está realizando uma pesquisa online para saber sua opinião sobre o site do MSDN. Se você optar por participar, a pesquisa online lhe será apresentada quando você sair do site do MSDN.

Deseja participar?
Mostrar:
© 2015 Microsoft