Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo
Este artigo foi traduzido manualmente. Coloque o ponteiro do mouse sobre as frases do artigo para ver o texto original. Mais informações.
Tradução
Original

Glossário

 

Termo

Definição

action

Uma operação iniciada pelo usuário final em um cubo selecionado ou em parte de um cubo.

ActiveX Data Objects

Uma interface de acesso a dados que se comunica com fontes de dados compatíveis com OLE DB para conectar, recuperar, manipular e atualizar dados.

ActiveX Data Objects (Multidimensional)

Um conjunto de interfaces de acesso a dados baseadas em objeto de alto nível e independente de idioma, otimizado para aplicativos de dados multidimensionais.

host do adaptador

A classe abstrata raiz Adapter, que define o handshake entre o adaptador e o servidor StreamInsight no ponto de interação ENQUEUE. Ela fornece todos os serviços de adaptador obrigatórios, como o gerenciamento de memória e a manipulação de exceção.

ADO

Uma interface de acesso a dados que se comunica com fontes de dados compatíveis com OLE DB para conectar, recuperar, manipular e atualizar dados.

ADO MD

Um conjunto de interfaces de acesso a dados baseadas em objeto de alto nível e independente de idioma, otimizado para aplicativos de dados multidimensionais.

ADOMD.NET

Um provedor de dados gerenciados de .NET que fornece acesso a fontes de dados multidimensionais, como o Microsoft SQL Server Analysis Services.

função de agregação

Uma função que executa um cálculo em diversos valores e retorna um único valor.

consulta de agregação

Uma consulta (instrução SQL) que resume informações de várias linhas incluindo uma função de agregação, como Sum ou Avg.

agregação

Uma tabela ou estrutura que contêm dados pré-calculados para um cubo OLAP (processamento analítico online). Agregações oferecem suporte à consulta rápida e eficiente de um banco de dados multidimensional.

prefixo de agregação

Uma cadeia de caracteres combinada com uma ID definida pelo sistema para criar um nome exclusivo para uma tabela de agregação da partição.

wrapper de agregação

Um wrapper que encapsula um objeto COM em outro objeto COM.

alias

Um rótulo alternativo para um objeto, como um arquivo ou uma coleção de dados.

tipo de alias

Um tipo de dados definido pelo usuário baseado em um dos tipos de dados do sistema SQL Server que pode especificar determinado tipo de dados, comprimento e nulidade.

alinhamento

Uma condição em que um índice é baseado no mesmo esquema de partição que sua tabela correspondente.

unidade de alocação

Um conjunto de páginas que pode ser operado como um todo. Páginas pertencentes a uma unidade de alocação são rastreadas por páginas IAM (Index Allocation Map). Uma unidade de alocação consiste na cadeia de páginas IAM e em todas as páginas marcadas como alocadas nessa cadeia de páginas IAM. Uma unidade de alocação pode conter no máximo uma única cadeia de IAM e uma cadeia de IAM deve pertencer a uma única unidade de alocação.

AMO

Uma coleção namespaces .NET incluída com o Analysis Services, usada para oferecer funcionalidade administrativa a aplicativos cliente.

Objetos de Gerenciamento de Análise

Uma coleção namespaces .NET incluída com o Analysis Services, usada para oferecer funcionalidade administrativa a aplicativos cliente.

dados analíticos

Dados que fornecem os valores associados aos dados espaciais. Por exemplo, os dados espaciais definem os locais de cidades em uma área, enquanto os dados analíticos fornecem a população de cada cidade.

ancestral

Em uma estrutura de árvore, o elemento do qual determinado elemento é um filho. Equivalente a um elemento pai.

elemento ancestral

Em uma estrutura de árvore, o elemento do qual determinado elemento é um filho. Equivalente a um elemento pai.

extremidade da ancoragem

Um extremidade de linha onde a largura da extremidade é maior que a largura da linha.

membro de ancoragem

A primeira invocação de uma CTE recursiva consiste em uma ou mais definições de consulta CTE associadas pelos operadores UNION ALL, UNION, EXCEPT ou INTERSECT. Como essas definições de consultas constituem o conjunto de resultados base da estrutura da CTE, são citados como membros de ancoragem.

gerenciador de animação

Um componente principal de um aplicativo de animação e a interface programática central para gerenciar (criando, agendando e controlando) animações.

assinatura anônima

Um tipo de assinatura pull para a qual informações detalhadas sobre a assinatura e o Assinante não são armazenadas.

conversão de ANSI em OEM

A conversão de caracteres que devem ocorrer quando dados são transferidos de um banco de dados que armazena dados de caractere usando uma página de código específica para um aplicativo cliente em um computador que usa uma página de código diferente. Normalmente, computadores cliente baseados no Windows usam páginas de código ANSI/ISO e alguns bancos de dados (por questões de compatibilidade) podem usar páginas de código OEM.

Cursor do servidor de API

Um cursor de servidor que é criado para dar suporte às funções de cursor de uma API, como ODBC, OLE DB, ADO e DB-Library.

Suporte a API

Um conjunto de rotinas que um aplicativo usa para solicitar e realizar serviços de nível inferior executados pelo sistema operacional de um computador. Essas rotinas costumam realizar tarefas de manutenção, como gerenciar arquivos e exibir informações.

função de aplicativo

Uma função do SQL Server criada para dar suporte às necessidades de segurança de um aplicativo.

hora do aplicativo

A hora do relógio fornecida por aplicativos que devem comunicar sua hora ao servidor StreamInsight, de forma que todos os operadores temporais se refiram ao carimbo de data/hora dos eventos e nunca ao relógio do sistema da máquina de host.

ramificação de aplicação

O conjunto de operações aplicado a um grupo de eventos.

porta de arbitragem

Uma porta TCP/IP usada pelos hosts de cache para determinar se um host de cache no cluster ficou não disponível. O número de porta que é usado para o arbitramento pode ser diferente em cada host de cache.

ARIMA

Um método para determinar dependências em observações feitas em sequência no tempo, que também oferece suporte à sazonalidade multiplicativa.

artigo

Um componente em uma publicação. Por exemplo, uma tabela, uma coluna ou uma linha.

assembly

Um módulo de aplicativo gerenciado que contém metadados de classe e código gerenciado como um objeto no SQL Server, em relação ao qual as funções CLR, procedimentos armazenados, gatilhos, agregações definidas pelo usuário e tipos definidos pelo usuário podem ser criados no SQL Server.

matriz associativa

Uma matriz composta de uma coleção de chaves e uma coleção de valores, onde cada chave é associada a um valor. As chaves e os valores podem ser de qualquer tipo.

feed Atom

Uma estrutura XML que contém metadados sobre conteúdo, como a versão de idioma e a data da última modificação do conteúdo, e é enviada a assinantes através do Protocolo de Publicação de Átomo (AtomPub).

atômica

Pertencente a uma operação em que todas as modificações de dados de transação devem ser executadas; todas a modificações de dados da transação são executadas ou não há modificações.

Atributo

Uma única característica ou informação adicional (financeira ou não financeira) que existe em um banco de dados.

hierarquia de atributo

Uma hierarquia plana (em geral, com nível Todos e um nível de membro) que contém um único atributo. É criada de uma coluna em uma tabela de dimensão, caso tenha suporte do cubo.

relação de atributo

A hierarquia associada a um atributo que contém um único nível baseado na coluna correspondente em uma tabela de dimensão.

tipo de atributo

O tipo de informações contidas por um atributo, como trimestres ou meses em uma dimensão de hora, que pode habilitar um tratamento específico pelos aplicativos servidor e cliente.

auditando

O processo usado por um sistema operacional para detectar e registrar eventos relativos à segurança; por exemplo, uma tentativa de criar, acessar ou excluir objetos como arquivos e diretórios. Os registros destes eventos são armazenados em um arquivo conhecido como um log de segurança, cujo conteúdo é disponibilizado apenas para aqueles com o espaço vazio adequado.

Autenticação

O processo de verificar a identidade de um usuário, computador, processo ou outra entidade validando as credenciais fornecidas pela entidade. Formas comuns de credenciais são assinaturas digitais, cartões inteligentes, dados biométricos e uma combinação de nomes e senhas de usuários.

autenticador

Uma estrutura de dados usada por uma parte para comprovar que a outra parte conhece uma chave secreta. No protocolo de autenticação Kerberos, autenticadores incluem carimbos de data/hora para impedir ataques de retomada e são criptografados com a chave de sessão emitida pelo KDC (Centro de distribuição de chaves).

AUTHORIZATION

O processo de conceder a uma pessoa, um processo de computador ou um dispositivo acesso a certas informações, serviços ou funcionalidade. A autorização deriva da identidade da pessoa, processo de computador ou dispositivo que solicita acesso, o que é verificado através da autenticação.

modo de confirmação automática

O modo de gerenciamento de transações padrão do Mecanismo de Banco de Dados. O Mecanismo de Banco de Dados inicia automaticamente uma transação para cada instrução Transact-SQL individual. Quando a instrução é concluída, a transação é confirmada ou revertida com base no êxito ou fracasso da instrução.

verificação de consistência automática

Um recurso que automaticamente executa uma verificação de consistência em fontes de dados protegidas quando detecta uma réplica inconsistente.

failover automático

Um failover que ocorre automaticamente na perda da réplica primária.

recuperação automática

A recuperação que ocorre toda vez que o SQL Server é reiniciado.

proteção automática

Em DPM, um recurso que automaticamente identifica e adiciona novas fontes de dados para proteção.

média de movimentação integrada de regressão automática

Um método para determinar dependências em observações feitas em sequência no tempo, que também oferece suporte à sazonalidade multiplicativa.

eixo

Um conjunto de tuplas. Cada tupla é um vetor de membros. Um conjunto de eixos define as coordenadas de um conjunto de dados multidimensional.

conjunto de backup

Uma coleção de arquivos, pastas e outros dados dos quais foi feito backup e armazenados em um arquivo ou em uma ou mais fitas.

hierarquia equilibrada

Uma hierarquia da dimensão na qual todos os nós folha têm a mesma distância do nó raiz.

backup de base

Um backup de dados de um banco de dados ou de arquivos nos quais um backup diferencial é completa ou parcialmente baseado. O backup de base é o backup de arquivo completo ou backup de arquivo mais recente do banco de dados ou de arquivos.

tipo de dados base

Qualquer tipo de dados fornecido pelo sistema; por exemplo, char, varchar, binary e varbinary. Os tipos de dados definidos pelo usuário derivam de tipos de dados base.

objeto base

O objeto referenciado por um sinônimo.

tabela base

Uma tabela armazenada permanentemente em um banco de dados. As tabelas base são referenciadas por exibições, cursores, instruções SQL e procedimentos armazenados.

mapa de marcador básico

Um mapa que exibe um marcador em cada local (por exemplo, cidades) e varia cor de marcador, tamanho e tipo.

lote

Um conjunto de solicitações ou transações que foram agrupadas.

trabalho em lotes

Um conjunto de processos de computador que podem ser executados sem interação do usuário.

processamento em lotes

A execução de um arquivo em lotes.

tipo blittable

Um tipo de dados que tem uma característica exclusiva e uma apresentação idêntica em memória para ambientes gerenciados e não gerenciados. Ele pode ser compartilhado diretamente.

BLOB

Um pacote discreto de dados binários com um tamanho excepcionalmente grande, como imagens ou faixas de áudio armazenadas como dados digitais, ou qualquer variável ou coluna da tabela grande o suficiente para manter esses valores. O 'objeto binário grande' de designação em geral se refere a um pacote de dados armazenados em um banco de dados e é tratado como uma sequência de bytes não interpretados.

bloco

Uma instrução Transact-SQL incluída entre BEGIN e END.

cursor em bloco

Um cursor com um tamanho de conjunto de linhas maior que 1.

transação de bloqueio

Uma transação que faz outra transação falhar.

expressão booliana

Uma expressão que gera um valor booliano (true ou false). Essas expressões podem envolver comparações (testando valores para igualdade ou, para valores não boolianos, a relação < [menor que] ou > [maior que]) e combinação lógica (usando operadores boolianos como AND, OR e XOR) de expressões boolianas.

operador booliano

Um operador criado para funcionar com valores boolianos. Os quatro operadores boolianos mais comuns no uso em programação são AND (conjunção lógica), OR (inclusão lógica), XOR (OR exclusivo) e NOT (negação lógica).

fluxo associado

Um fluxo de eventos que contém todas as informações necessárias para produzir eventos. As informações já são uma fonte de dados instanciada ou são suficientes para o servidor StreamInsight iniciar a fonte de dados.

caixa delimitadora

A área retangular menor ao redor de um caminho, forma ou grupo de objetos.

modo de procura

Uma função que permite examinar linhas do banco de dados e atualizar seus valores, uma linha de cada vez.

árvore B

Uma estrutura de árvore para armazenar índices de banco de dados.

mapa de bolha

Um mapa geográfico que exibe um círculo sobre locais específicos, onde o raio do círculo é proporcional a um valor numérico.

pool de buffers

Um bloco de memória reservado para índice e páginas de dados de tabela.

tamanho do buffer

O tamanho da área de memória reservado para armazenamento temporário de dados.

funções internas

Um grupo de funções predefinidas fornecido como parte das linguagens Transact-SQL e MDX.

BUILTIN\Administradores

Conta de usuário (administradores locais)

cópia em massa

Uma ação de copiar um conjunto grande de dados.

exportação em massa

Copiar um conjunto grande de linhas de dados de uma tabela do SQL Server em um arquivo de dados.

importação em massa

Carregar uma quantidade grande de dados, normalmente em lotes, de um arquivo ou repositório de dados em outro repositório de dados.

carregamento em massa

Ação de inserir um grande conjunto de linhas em uma tabela.

backup de log em massa

Um backup que inclui as páginas de log e dados alteradas por operações em massa. A recuperação pontual não é permitida.

provedor de conjuntos de linhas em massa

Um provedor usado para que a instrução OPENROWSET leia dados de um arquivo. No SQL Server 2005, OPENROWSET pode ler de um arquivo de dados sem carregar os dados em uma tabela de destino. Isso o habilita a usar OPENROWSET com uma instrução SELECT simples.

modelo de recuperação bulk-logged

Um modo de recuperação de banco de dados que registra minimamente operações em massa, como criação de índice e importações em massa, enquanto registra completamente em log outras transações. A recuperação bulk-logged melhora o desempenho de operações em massa e deve ser usada como um suplemento do modelo de recuperação completa.

Business Intelligence Development Studio

Uma ferramenta de desenvolvimento e gerenciamento de projetos para desenvolvedores de solução de business intelligence. Ele pode ser usado para criar soluções de business intelligence ponta a ponta que integram projetos de Microsoft SQL Server Analysis Services (SSAS), Microsoft SQL Server Integration Services (SSIS) e Microsoft SQL Server Reporting Services (SSRS).

lógica de negócios

A parte de um programa aplicativo que executa o processamento de dados exigido pelos negócios. Ela se refere às rotinas que executam a entrada, a atualização, a consulta e o processando de relatórios de dados e, mais especificamente, ao processamento que ocorre nos bastidores, e não à lógica de apresentação exigida exibir os dados na tela.

manipulador de lógica de negócios

Um recurso de replicação de mesclagem que permite executar código personalizado durante o processo de sincronização.

estrutura do manipulador de lógica de negócios

A estrutura do manipulador de lógica comercial permite que você grave um assembly de código gerenciado que é chamado durante o processo de sincronização de mesclagem.

regras de negócio

As regras lógicas que são usadas para executar um negócio

envelhecimento de cache

O mecanismo de armazenar em cache que determina quando uma linha de cache está desatualizada e deve ser atualizada.

cliente de cache

Um aplicativo .NET que usa as APIs de cliente Windows Server AppFabric para se comunicar com e armazenar dados em um sistema de cache distribuído do Windows Server AppFabric.

cluster de cache

A instanciação do serviço de cache distribuído, composta de uma ou mais instâncias do serviço de host de cache que operam juntas para armazenar e distribuir dados. Dados são armazenados em memória para minimizar tempos de resposta para solicitações de dados. Esta tecnologia de clustering difere do clustering do Windows.

invalidação de cache

O processo de sinalizar um objeto no cache de forma que ele não seja mais usado por clientes de cache. Isso ocorre quando um objeto permanece em cache por mais tempo que o valor de tempo limite de cache (quando ele expira).

item de cache

Um objeto que é armazenado no cache e informações adicionais associadas a esse objeto, como marcas e versão. Ele pode ser extraído do cluster de cache usando a API de cliente GetCacheItem.

notificação de cache

Uma notificação assíncrona que pode ser disparada por uma variedade de operações de cache no cluster de cache. Notificações de cache podem ser usadas para invocar métodos de aplicativo ou automaticamente invalidar objetos armazenados localmente em cache.

operação de cache

Um evento que ocorre em regiões ou itens armazenados em cache que podem disparar uma notificação de cache.

porta de cache

Uma porta TCP/IP usada por hosts de cache para transmitir dados de e para os clientes de cache. O número de porta usado para a porta de cache pode ser diferente em cada host de cache. Estas configurações são mantidas nos parâmetros de configuração de cluster.

região de cache

Um contêiner de dados, em um cache, que coloca todos os objetos armazenados em cache em um único host de cache. As regiões de cache habilitam a capacidade de pesquisar todos os objetos armazenados na região usando cadeias de caracteres descritivas, denominadas marcas.

serviço de cache

A solução de cache distribuída na memória que permite aos usuários criar aplicativos altamente escalonáveis ​​e responsivos, aproximando os dados dos usuários finais.

marca de cache

Um ou mais identificadores baseados em cadeia de caracteres opcional que podem ser associados a cada objeto armazenado em cache que se encontra armazenado em uma região. Regiões lhe permitem recuperar objetos armazenados em cache com base em uma ou mais marcas.

padrão de programação cache-aside

Um padrão de programação em que, se os dados não estiverem presentes no cache, o aplicativo, e não o sistema de cache distribuído, deverá recarregar dados no cache da fonte de dados original.

aplicativo habilitado por cache

Um aplicativo que usa o cliente de cache Windows Server AppFabric para armazenar dados em cache no cluster de cache.

coluna calculada

Um tipo de coluna que exibe os resultados de operações ou expressões matemáticas ou lógicas, e não dados armazenados.

campo calculado

Um campo definido em uma consulta que exibe o resultado de uma expressão, e não dados armazenados. O valor é recalculado cada vez que um valor é alterado na expressão.

membro calculado

Um membro de uma dimensão cujo valor é calculado em tempo de execução usando uma expressão. Valores de membro calculados pode derivar dos valores de outros membros.

condição de cálculo

Uma expressão lógica MDX (Multidimensional Expressions) usada para determinar se uma fórmula de cálculo é aplicada em relação a uma célula em um subcubo de cálculo.

fórmula de cálculo

Uma expressão MDX (Multidimensional Expressions) usada para fornecer um valor para células em um subcubo de cálculo, sujeita à aplicação de uma condição de cálculo.

fase de cálculo

Uma fase de cálculo em um cubo multidimensional no qual são avaliados cálculos aplicáveis.

número de fase de cálculo

Uma posição ordinal usada para referenciar uma fase de cálculo.

subcubo de cálculo

O conjunto de células de cubo multidimensionais usado para criar uma definição de células calculadas. O conjunto de células é definido por uma combinação de expressões do conjunto MDX.

retorno de chamada

O processo usado para autenticar usuários que chamam em uma rede. Durante o retorno de chamada, a rede valida o nome de usuário e a senha do chamador, desliga e retorna a chamada, em geral para um número pré-autorizado. Este processo impede o acesso não autorizado a uma conta, mesmo quando a ID de logon e a senha de um indivíduo são roubadas.

interface de nível de chamada

A interface com suporte de ODBC para uso por um aplicativo.

chave candidata

Uma coluna ou conjunto de colunas que têm um valor exclusivo para cada linha em uma tabela.

extremidade

Para caminhos que contêm extremidades não conectadas, como linhas, o término de um traço. Você pode alterar a aparência do traço em cada extremidade aplicando um de quatro estilos de proteção final: proteção plana, proteção redonda, proteção quadrada e proteção triangular.

cardinalidade

O número de entidades que podem existir em cada lado de uma relação.

exibição de carrossel

Na Galeria PowerPivot, uma exibição especializada em que a área de visualização é centralizada e as miniaturas imediatamente antes e depois da miniatura atual são adjacentes à área de visualização.

exclusão em cascata

Para relações que forçam a integridade referencial entre tabelas, a exclusão de todos os registros relacionados nas tabelas relacionadas quando um registro na tabela primária é excluído.

atualização em cascata

Para relações que forçam a integridade referencial entre tabelas, a atualização de todos os registros relacionados nas tabelas relacionadas quando um registro na tabela primária é alterado.

case

Uma exibição abstrata de dados caracterizados por atributos e relações com outros casos.

chave do caso

O elemento de um caso através do qual o caso é referenciado dentro de um conjunto de casos.

exibições do catálogo

Exibições internas que formam o catálogo do sistema do SQL Server.

erro catastrófico

Um erro que faz o sistema ou um programa falhar abruptamente sem esperança de recuperação. Um exemplo de um erro fatal é uma exceção não identificada que não pode ser tratada.

caixa do CD

Uma caixa para guardar os CDs.

CD-ROM

Uma forma de armazenamento caracterizada pela capacidade alta (quase 650 MB) e o uso da ótica a laser em vez de meios magnéticos para ler dados.

célula

Em um cubo, o conjunto de propriedades, inclusive um valor, especificado pela interseção quando um membro é selecionado em cada dimensão.

conjunto de células

No ADO MD, um objeto que contém uma coleção de células selecionadas de cubos ou outros conjuntos de células por uma consulta multidimensional.

modelo de registro centralizado

Um modelo de registro que remove toda a participação de assinante de certificado da política de gerenciamento. Para o fluxo de trabalho, um usuário designado como o originador iniciará a solicitação e um agente de matrícula executará a solicitação.

Zip Code

O processamento contínuo e incremental dos fluxos de eventos de várias origens com base na consulta declarativa e nas especificações do padrão com latência próxima de zero.

Mecanismo CEP

O mecanismo básico e os componentes da estrutura de adaptador do Microsoft StreamInsight. O servidor StreamInsight pode ser usado para processar e analisar os fluxos de eventos associados a um aplicativo de processamento de eventos complexos.

CERN

Um centro de pesquisas da física localizado em Genebra, Suíça, onde o desenvolvimento original da World Wide Web aconteceu sob a liderança de Tim Berners-Lee, em 1989, como um método para facilitar a comunicação entre membros da comunidade científica.

certificado

Um documento digital geralmente usado para autenticação e para ajudar a proteger informações em uma rede. Um certificado associa uma chave pública a uma entidade que contém a chave privada correspondente. Os certificados são assinados digitalmente pela autoridade de certificação que os emite e podem ser emitidos para um usuário, computador ou serviço.

registro de certificado

O processo de solicitar, receber e instalar um certificado.

emissor do certificado

A autoridade de certificação que emitiu o certificado ao sujeito.

Cliente CLM

Um pacote de ferramentas do cliente CLM (Certificate Lifecycle Manager) que ajuda usuários finais a gerenciarem seus cartões inteligentes. As ferramentas incluem o controle de autoatendimento de cartão inteligente, o controle de personalização de cartão inteligente e o controle de atualização de perfil de certificado. Ver o controle de autoatendimento de cartão inteligente, o controle de personalização de cartão inteligente e o controle de atualização de perfil de certificado.

gerenciador de certificados

Um usuário do CLM (Certificate Lifecycle Manager) com as permissões de CLM apropriadas para administrar outros usuários de CLM ou administrar o próprio aplicativo CLM.

portal da Web do gerenciador de certificados

Um aplicativo Web executado no servidor CLM (Certificate Lifecycle Manager). Este portal permite aos administradores de certificado administrarem os certificados e cartões inteligentes de outros usuários. Os portais da Web do assinante de certificado e do gerenciador de certificado são acessados pela mesma URL (localizador de recurso universal); porém, o conteúdo exibido se baseia nas funções e permissões de um usuário.

Controle de atualização de perfil de certificado

Um controle ActiveX que automatiza a atualização de perfis de CLM (Certificate Lifecycle Manager) em computadores cliente.

revogação de certificado

O processo de revogar um certificado digital.

assinante de certificado

Um usuário que precisa de certificados com ou sem cartões inteligentes. Assinantes de certificado podem acessar algumas funções que só podem ser executadas para os próprios certificados do usuário.

portal da Web do assinante de certificados

Um aplicativo Web executado no servidor CLM (Certificate Lifecycle Manager). Este componente do servidor de CLM interage diretamente com usuários em um modo de autoatendimento. A funcionalidade específica se baseia nas associações e permissões do grupo Active Directory. Os portais da Web do assinante de certificado e do gerenciador de certificado são acessados pela mesma URL (localizador de recurso universal); porém, o conteúdo exibido se baseia nas funções e permissões de um usuário.

modelo de certificado

Uma construção Windows que especifica o formato e o conteúdo de certificados com base no seu uso planejado. Ao solicitar um certificado de uma CA (autoridade de certificação) corporativa Windows, os solicitadores de certificado podem optar entre diversos tipos de certificados com base em modelos de certificado.

aplicador de alterações

Um objeto que executa a detecção e a manipulação de conflitos, bem como a aplicação de alterações em um lote de alterações.

propagação de alterações

O processo de aplicar alterações de uma réplica em outra.

script de alteração

Um arquivo de texto que contém instruções SQL para todas as alterações feitas em um banco de dados, na ordem em que foram feitas, durante uma sessão de edição.

unidade de alteração

A unidade mínima de rastreamento de alterações em um repositório. Na propagação de alterações, apenas as unidades que são alteradas devem ser enviadas; já na detecção de conflitos, alterações independentes na mesma unidade são consideradas um conflito.

dimensão variável

Uma dimensão que tem uma estrutura de membro flexível e é criada para dar suporte a alterações frequentes na estrutura e nos dados.

codificação de caracteres

Um mapeamento um-para-um entre um conjunto de caracteres e um conjunto de números.

conjunto de caracteres

Um agrupamento de caracteres alfabéticos, numéricos e outros que têm alguma relação em comum. Por exemplo, o conjunto de caracteres ASCII padrão inclui letras, números, símbolos e códigos de controle que constituem o esquema de codificação ASCII.

região de dados do gráfico

Um item de relatório em um layout de relatório que exibe dados em um formato gráfico.

ponto de verificação

Um evento no qual o Mecanismo de Banco de Dados grava páginas de buffer sujas em disco. Cada ponto de verificação grava em disco todas as páginas que estavam sujas no último ponto de verificação e que ainda não tinham sido gravadas em disco.

soma de verificação

Um valor calculado usado para testar a presença de erros que podem ocorrer nos dados quando eles são transmitidos ou gravados em disco. A soma de verificação é calculada para determinada parte de dados combinando todos os bytes de dados em sequência com uma série operações aritméticas ou lógicas. Depois que os dados são transmitidos ou armazenados, uma nova soma de verificação é calculada da mesma forma, usando os dados transmitidos ou armazenados (possivelmente com falhas). Se as duas somas de verificação não coincidirem, significa que um erro ocorreu e os dados devem ser transmitidos ou armazenados novamente. Somas de verificação não podem detectar todos os erros e não podem ser usadas para corrigir dados errôneos.

filho

Em uma estrutura de árvore, a relação de um nó com seu antecessor imediato.

crônica

Uma tabela que armazena informações de estado de um único aplicativo. Um exemplo é uma crônica de evento que pode armazenar dados de evento para uso com assinaturas agendadas.

parte

Uma quantidade especificada de dados.

Shell CIDER

Um contêiner da UI com interface tabulada para hospedar o componente TSQLEditor e a saída relacionada da execução de consultas TSQL.

identidade baseada em declarações

Um identificador exclusivo que representa um usuário, aplicativo, computador ou outra entidade específica, habilitando-a a obter acesso a vários recursos, como aplicativos e recursos de rede, sem inserir credenciais várias vezes. Ela também permite que recursos validem solicitações de uma entidade.

desligamento normal

Um desligamento de sistema que ocorre sem erros.

texto não criptografado

Dados na sua forma descriptografada.

texto não criptografado

Dados na sua forma descriptografada.

CLI

A interface com suporte de ODBC para uso por um aplicativo.

análise da sequência de cliques

Dados de clickstream são informações que os usuários geram à medida que se movem nas páginas e clicam em itens em um site, em geral armazenados em arquivos de log. Designers de site podem usar dados de clickstream para melhorar as experiências de usuários com um site.

relatório de clickthrough

Um relatório que exibe dados do modelo de relatório relacionado quando você clica nos dados dentro de um relatório renderizado pelo Construtor de Relatórios.

cliente

Um serviço, aplicativo ou dispositivo que deseja ser integrado na arquitetura do Microsoft Sync Framework.

cliente

Um computador ou programa que se conecta a ou solicita os serviços de outro computador ou programa.

geração de código de cliente

A ação de gerar código para o projeto de cliente com base em operações e entidades expostas na camada intermediária. Um link do RIA Services deve existir entre os projetos de cliente e servidor.

cursor do cliente

Um cursor que é implementado no cliente. O conjunto de resultados inteiro é transferido primeiro para o cliente, e o software da API do cliente implementa a funcionalidade do cursor a partir desse conjunto de resultados armazenado em cache.

painel Estatísticas do Cliente

Um das guias que hospeda a saída das informações de estatísticas do cliente.

assinatura de cliente

Uma assinatura em uma publicação de mesclagem que usa o valor de prioridade do Publicador para detecção e resolução de conflitos.

tipo de cliente

Informações que determinam como um cliente de cache funciona e afeta o desempenho de seu aplicativo. Existem dois tipos básicos de cliente: um tipo de cliente simples e um tipo de cliente de roteamento.

Auditoria CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a geração e a exibição de modelos de política CLM, definindo políticas de gerenciamento em um modelo de perfil e gerando relatórios de CLM.

Credenciais de CLM

Informações de conta de usuário que podem ser usadas para autenticar um usuário para o CLM (Certificate Lifecycle Manager). Essas credenciais podem estar na forma de credenciais de domínio ou de senhas antigas.

Inscrição de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite ao usuário especificar o fluxo de trabalho e os dados serem coletados, emitindo certificados através de um modelo. Essa permissão estendida só se aplica a modelos de perfis.

Agente de inscrição de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a um usuário ou grupo executar solicitações de certificado em nome de outro usuário. O assunto do certificado emitido conterá o nome do usuário de destino, e não o nome do solicitante.

Recuperação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a iniciação da recuperação de chave de criptografia a partir do banco de dados de autoridade de certificação.

Renovação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a iniciação, execução ou conclusão de uma solicitação de matrícula. A solicitação de renovação substitui o certificado de um usuário, cuja data de validade está próxima, por um novo certificado com um novo período de validade.

Relatórios CLM

Informações de auditoria que pertencem a atividades de gerenciamento de credencial no CLM (Certificate Lifecycle Manager).

Registro de solicitação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a iniciação, execução ou conclusão de uma solicitação de matrícula.

Recuperação de solicitação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a iniciação da recuperação de chave de criptografia a partir do banco de dados de autoridade de certificação.

Renovação de solicitação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a iniciação, execução ou conclusão de uma solicitação de matrícula. A solicitação de renovação substitui o certificado de um usuário, cuja data de validade está próxima, por um novo certificado com um novo período de validade.

Revogação de solicitação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a revogação de um certificado antes da expiração do período de validade do certificado. Um exemplo de quando isso é necessário é se o computador de um usuário ou cartão inteligente fica comprometido (roubado).

Cartão inteligente desbloqueado em solicitação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que habilita a redefinição do PIN (número de identificação pessoal de usuário) de um cartão inteligente, permitindo o acesso ao material principal de um cartão inteligente e seu restabelecimento.

Revogação de CLM

Uma permissão estendida do CLM (Certificate Lifecycle Manager) no Active Directory que permite a revogação de um certificado antes da expiração do período de validade do certificado. Um exemplo de quando isso é necessário é se o computador de um usuário ou cartão inteligente fica comprometido (roubado).

vetor de relógio

Uma coleção de elementos de vetor de relógio que representa atualizações em uma réplica. Qualquer alteração que ocorra entre 0 e a contagem em escala está contida no vetor.

elemento de vetor de relógio

Um par de valores, consistindo em uma chave de réplica e uma contagem em escala que representam uma alteração em uma réplica.

função CLR

Uma função criada em relação a um assembly do SQL Server cuja implementação é definida em um assembly criado no CLR (Common Language Runtime) do .NET Framework.

procedimento armazenado CLR

Um procedimento armazenado criado em relação a um assembly do SQL Server cuja implementação é definida em um assembly criado no CLR (Common Language Runtime) do .NET Framework.

gatilho CLR

Um gatilho criado em relação a um assembly do SQL Server cuja implementação é definida em um assembly criado no CLR (Common Language Runtime) do .NET Framework.

tipo de dados CLR definido pelo usuário

Um tipo de dados definido pelo usuário criado em relação a um assembly do SQL Server cuja implementação é definida em um assembly criado no CLR (Common Language Runtime) do .NET Framework.

local de armazenamento de configuração de cluster

O local compartilhado (ou local de armazenamento compartilhado) onde informações de configuração de cluster persistem. Ele pode ser um arquivo ou um banco de dados compartilhado.

recurso de disco de cluster

Um disco em um dispositivo de armazenamento de cluster.

nó de cluster

Um computador individual em um cluster de servidores.

porta de cluster.

Uma porta TCP/IP usada pelos hosts de cache para gerenciar o cluster de cache. O número de porta usado para as portas de cluster pode ser diferente em cada host de cache. Estas configurações são mantidas nos parâmetros de configuração de cluster.

reparo de cluster

Uma operação de reparo na qual todos os arquivos ausentes ou corrompidos são substituídos, todas as chaves de registro ausentes ou corrompidas são substituídas e todos os valores de configuração ausentes ou inválidos são definidos como valores padrão.

índice clusterizado

Um índice baseado na árvore B, no qual a ordem lógica dos valores de chave determina a ordem física das linhas correspondentes em uma tabela.

servidor clusterizado

Um servidor que pertence a um cluster de servidores.

clustering

Uma técnica da mineração de dados que analisa dados para agrupar registros de acordo com o seu local dentro do espaço do atributo multidimensional.

bloqueio de alta granularidade

Um bloqueio que se aplica a uma grande quantidade de códigos ou dados.

segurança de acesso do código

Um mecanismo fornecido pelo Common Language Runtime pelo qual são concedidas permissões ao código gerenciado pela política de segurança, e essas permissões são impostas, ajudando a limitar as operações que o código tem permissão para executar.

elemento de código

A combinação mínima de bits que pode representar uma unidade de texto codificado para processamento ou troca.

página de código

Uma tabela que relaciona os códigos de caracteres (valores de ponto de código) usada por um programa a chaves no teclado ou para caracteres no vídeo. Isso oferece suporte a conjuntos de caracteres e layouts de teclado em diferentes países ou regiões.

ponto de código

A combinação mínima de bits que pode representar uma unidade de texto codificado para processamento ou troca.

latência fria

O tempo que decorre quando o fluxo de trabalho está sendo usado pela primeira vez e o XOML ou XAML precisa ser compilado.

espera passiva

Um segundo data center que oferecer disponibilidade em algumas horas ou dias.

Collation

Um conjunto de regras que determina como os dados são comparados, ordenados e apresentados.

coleção

Um objeto que contém um conjunto de objetos relacionados. A posição de um objeto na coleção pode alterar sempre que uma alteração ocorre na coleção; portanto, a posição de qualquer objeto específico em uma coleção pode variar.

item de coleta

Uma instância de um tipo de coletor que é criado com um conjunto específico de propriedades de entrada e a frequência de coleção; isso é usado para coletar tipos específicos de dados.

modo de coleta

A frequência com que dados são coletados e carregados no data warehouse de gerenciamento.

conjunto de coleta

Um grupo de itens de coleta com o qual um usuário pode interagir através da interface do usuário.

tipo de coletor

Um delimitador lógico que envolve os pacotes do SQL Server Integration Services e fornece o mecanismo real para coletar dados e carregá-los no data warehouse de gerenciamento.

colocar

Selecionar uma tabela particionada que contém dados relacionados e unir a esta tabela na coluna de particionamento.

colocação

Uma condição em que tabelas e índices são particionados de acordo com funções de partições equivalentes.

intervalo de cores

O intervalo de cores disponível a um dispositivo de vídeo.

regra de cores

A regra que se aplica a cores de preenchimento para polígonos, linhas e marcadores que representam pontos ou pontos centrais de polígono.

escala de cores

Uma escala que exibe apenas os resultados das regras de cores.

column

A área em cada linha de uma tabela de banco de dados que armazena o valor de dados para algum atributo do objeto modelado pela tabela.

associação de coluna

A associação de um objeto do Analysis Services a uma coluna em uma exibição de fonte de dados.

delimitador de colunas

Um caractere que separa colunas umas das outras no arquivo CSV que está sendo importado/exportado.

filtro de colunas

Um filtro que restringe colunas que precisam ser incluídas como parte de uma publicação de instantâneo, transacional ou de mesclagem.

Perfil Padrão de Coluna

Um relatório contendo um conjunto de expressões regulares que abrangem a porcentagem especificada de valores em uma coluna de cadeia de caracteres.

conjunto de colunas

Uma representação em XML sem tipo que combina todas as colunas esparsas de uma tabela em uma saída estruturada.

agrupamento em nível de coluna

Suportando vários agrupamentos em uma única instância.

restrição em nível de coluna

Uma definição de restrição especificada dentro de uma definição de coluna quando uma tabela é criada ou alterada.

Grade de Colunas

Uma estrutura de grade editável no Designer de Tabela que lista as colunas de uma tabela e informações adicionais sobre cada coluna.

índice columnstore

Armazena cada coluna em um conjunto separado de páginas de disco em vez de armazenar várias linhas por página.

COM

Um modelo de programação baseado em objeto projetado para promover a interoperabilidade de software. Ele permite que dois ou mais aplicativos ou componentes cooperem facilmente entre si, mesmo que eles tenham sido escritos por fornecedores diferentes, em momentos diferentes, em linguagens de programação diferentes ou se estiverem sendo executados em outros computadores que executam sistemas operacionais diferentes.

buffer de comandos

Uma área em memória na qual comandos inseridos pelo usuário são mantidos. Um buffer de comandos pode habilitar o usuário a repetir comandos sem redigitá-los novamente, editar comandos anteriores para alterar algum argumento ou corrigir um erro, desfazer comandos ou obter uma lista de comandos anteriores.

prompt de comando

Uma interface entre o sistema operacional e o usuário na qual o usuário digita cadeias de caracteres de linguagem de comandos de texto que são transmitidas ao interpretador de comandos para execução.

relação de comando

Fornece instruções para hardware baseado em questões ou comandos de linguagem natural.

confirmar

Uma operação que salva todas as alterações nos bancos de dados, cubos ou dimensões feitas desde o início de uma transação.

Visualização de Confirmação

Título de uma janela que exibe ações a serem executadas durante a operação de confirmação.

confirmado

Característica de uma transação que é registrada em log e não pode ser revertida.

fórmula de índice de canal de mercadoria

Uma fórmula que calcula o desvio médio do preço médio diário de uma mercadoria a partir da média móvel. Um valor acima de 100 indica que a mercadoria é comprada em demasia, e um valor abaixo de -100 indica que a mercadoria é vendida além da capacidade.

comparador

Um dispositivo para comparar dois itens para determinar se eles são equivalentes. Em eletrônica, por exemplo, um comparador é um circuito que compara duas voltagens de entrada e indica qual é mais alta.

erro de compilação

Um erro que ocorre durante a compilação de um aplicativo. Estes erros de compilação ocorrem normalmente porque a sintaxe foi inserida incorretamente.

tempo de compilação

A quantidade de tempo necessária para executar uma compilação de um programa. O tempo de compilação pode variar de uma fração de um segundo a muitas horas, dependendo do tamanho e da complexidade do programa, da velocidade do compilador, e do desempenho do hardware.

restauração completa de banco de dados

Uma restauração de um backup completo de banco de dados, o backup de banco de dados diferencial mais recente (se houver) e os backups de logs (se houver) feitos desde o backup completo do banco de dados.

processamento de eventos complexos

O processamento contínuo e incremental dos fluxos de eventos de várias origens com base na consulta declarativa e nas especificações do padrão com latência próxima de zero.

Component Object Model

Um modelo de programação baseado em objeto projetado para promover a interoperabilidade de software. Ele permite que dois ou mais aplicativos ou componentes cooperem facilmente entre si, mesmo que eles tenham sido escritos por fornecedores diferentes, em momentos diferentes, em linguagens de programação diferentes ou se estiverem sendo executados em outros computadores que executam sistemas operacionais diferentes.

combinável

Diz respeito à capacidade de formar consultas complexas usando componentes de consulta (objetos ou operadores) como blocos de construção reutilizáveis. Isso é feito vinculando componentes de consulta ou encapsulando componentes de consulta uns aos outros.

ambiente composto

Um ambiente virtual que foi criado a partir de máquinas virtuais. Essas máquinas virtuais foram criadas fora do Gerenciador de Testes da Microsoft e já foram implantadas já em um grupo de hosts.

índices compostos

Um índice que usa mais de uma coluna em uma tabela para indexar dados.

chave composta

Uma chave cuja definição consiste em dois ou mais campos em um arquivo, colunas em uma tabela, ou atributos em uma relação.

hierarquia composicional

Um conjunto de entidades que conceitualmente fazem parte de uma hierarquia, como uma entidade pai e uma entidade filho. Operações de dados exigem que as entidades sejam tratadas como uma única unidade.

coluna computada

Uma coluna virtual em uma tabela cujo valor é computado em tempo de execução.

campo computado

Um valor em uma notificação formatada que foi computado usando uma expressão Transact-SQL.

arquivo de armazenamento estruturado em COM

Um arquivo composto COM (modelo de objeto de componente) usado pelo DTS (Data Transformation Services) para armazenar o histórico de versão de um pacote DTS salvo.

concatenação

O processo de combinar duas ou mais cadeias de caracteres ou expressões em uma única cadeia de caracteres ou expressão, ou de combinar duas ou mais cadeias ou expressões binárias em uma única cadeia ou expressão binária.

simultaneidade

Um processo que permite que vários usuários acessem e alterem dados compartilhados ao mesmo tempo. A Estrutura da Entidade implementa um modelo de simultaneidade otimista.

Conflito de simultaneidade

Um conflito que ocorre quando o mesmo item ou unidade de alteração é alterada em duas réplicas diferentes que são sincronizadas mais tarde.

modelo de simultaneidade

Um modo no qual um aplicativo pode ser criado para responder por operações simultâneas que usam os mesmos dados armazenados em cache. O Windows Server AppFabric oferece suporte a modelos de simultaneidade otimistas e pessimistas.

operação simultânea

Uma operação de computador na qual dois ou mais processos (programas) têm acesso à hora do microprocessador e são realizados quase simultaneamente. Como um microprocessador pode funcionar com muitas unidades de tempo menores do que as pessoas conseguem perceber, processos simultâneos parecem estar ocorrendo simultaneamente, mas, na realidade não estão.

expressão condicional

Uma expressão que gera um valor booliano (true ou false). Essas expressões podem envolver comparações (testando valores para igualdade ou, para valores não boolianos, a relação < [menor que] ou > [maior que]) e combinação lógica (usando operadores boolianos como AND, OR e XOR) de expressões boolianas.

divisão condicional

Uma restauração de um backup completo de banco de dados, o backup de banco de dados diferencial mais recente (se houver) e os backups de logs (se houver) feitos desde o backup completo do banco de dados. 

arquivo config

Um arquivo que contém especificações operacionais legíveis por máquina para um hardware ou software, ou que contém informações sobre outro arquivo ou sobre um usuário específico, como a ID de logon do usuário.

configuração

Em referência a um único microcomputador, a soma de componentes internos e externos de um sistema, incluindo memória, unidades de disco, teclado, vídeo e geralmente hardware complementar menos crítico, como mouse, modem ou impressora. Software (o sistema operacional e vários drivers de dispositivo), as opções do usuário definidas através de arquivos de configuração como os arquivos AUTOEXEC.BAT e CONFIG.SYS em PCs IBM e compatíveis e, às vezes, hardware (comutadores e saltadores) são necessários para 'configurar a configuração' para que funcione corretamente. Embora a configuração de sistema possa ser alterada, como através da adição de mais memória ou capacidade de disco, a estrutura básica do sistema (sua arquitetura) permanece inalterada.

arquivo de configuração

Um arquivo que contém especificações operacionais legíveis por máquina para um hardware ou software, ou que contém informações sobre outro arquivo ou sobre um usuário específico, como a ID de logon do usuário.

Ferramentas de configuração

No SQL Server, um item de menu que permite ao usuário habilitar, desabilitar, iniciar ou parar os recursos, serviços e conectividade remota das instalações do SQL Server.

detecção de conflitos

O processo de determinar quais operações foram realizadas através de uma réplica sem o conhecimento da outra; por exemplo, quando duas réplicas fazem atualizações locais no mesmo item.

método de resolução de conflitos

O método que é usado para determinar qual alteração é gravada no repositório em caso de conflito. Os métodos típicos de resolução de conflitos são: último gravador ganha, origem ganha, destino ganha, personalizado ou adiado. Para a resolução personalizada, o aplicativo de resolução lê o conflito do log a partir de conflitos e seleciona uma resolução. Para a resolução adiada, o conflito é registrado junto com os dados de alterações conflitantes e o conhecimento atual da alteração.

resolvedor de conflito

Um mecanismo especial que trata de situações de resolução de conflito.

Diretor de Conexão

Tecnologia de conectividade em que aplicativos baseados em tecnologias de acesso a dados diferentes (.NET ou Win32 nativo) podem compartilhar as mesmas informações de conexão. As informações de conexão podem ser gerenciadas centralmente para tais aplicativos cliente.

gerenciador de conexões

Uma representação lógica de uma conexão em tempo de execução com uma fonte de dados.

cadeia de conexão

Uma série de argumentos que definem o local de um recurso e como conectar a ele.

unidade de coerência

A unidade mínima de sincronização de dados. Como todas as alterações que têm a mesma unidade de coerência são enviadas juntas, a sincronização nunca pode ser interrompida com parte de uma unidade de coerência aplicada.

constante

Um valor numérico ou de cadeia de caracteres que não é calculado e, portanto, não se altera.

conflito de restrição

Um conflito que viola as restrições dos itens ou das unidades de alteração, como a relação de pastas ou o local dos dados de mesmo nome em um sistema de arquivos.

violação da restrição

Uma violação que ocorre quando os critérios de restrição não são atendidos.

banco de dados independente

Um banco de dados do SQL Server que inclui toda a autenticação de usuário, as configurações de banco de dados e os metadados necessários para definir e acessar o banco de dados, e que não tem dependência de configuração na instância do Mecanismo de Banco de Dados do SQL Server onde o banco de dados está instalado.

contêiner

Um elemento de fluxo de controle que fornece estrutura de pacote.

formatador de conteúdo

A parte do distribuidor que transforma dados de notificação brutos em mensagens legíveis.

chave de conteúdo

A chave criptográfica usada para criptografar e descriptografar conteúdo protegido durante a publicação e o consumo.

contenção

Em uma rede, a competição entre estações para a oportunidade de usar uma linha de comunicação ou um recurso de rede.

painel Contexto

Um modo de exibição de árvore incluído no Designer de Tabela que lista objetos relacionados a uma tabela.

alternância de contexto

A alteração da identidade na qual são verificadas permissões para executar instruções ou ações.

mídia de continuação

A série de mídias de backup removíveis usadas depois que o meio inicial fica cheio, permitindo a continuação da operação de backup.

fita de continuação

Uma fita que é usada depois da fita inicial em preenchimentos de famílias de mídia, permitindo a continuação de uma família de mídia.

contrato

Um objeto do Service Broker que define os tipos de mensagem que podem ser trocadas dentro de uma determinada conversa.

fluxo de controle

Um grupo de elementos de fluxo de controle conectados que executam tarefas.

relatório de control-break

Um relatório que resume dados em grupos ou quebras definidos pelo usuário. Um novo grupo é disparado quando dados diferentes são encontrados.

linguagem de controle de fluxo

Palavras-chave do Transact-SQL que controlam o fluxo de execução de instruções e blocos de instruções SQL em gatilhos, procedimentos armazenados e lotes.

ponto de extremidade de conversação

O objeto que representa uma parte que participa da conversa.

grupo de conversação

Um grupo de conversas relacionadas do Service Broker. Mensagens no mesmo grupo de conversação só podem ser processadas por um programa de serviço de cada vez.

identificador de conversa

Um identificador que define exclusivamente uma conversa.

forma convexa

O menor conjunto convexo que contém X no plano euclidiano ou espaço euclidiano.

sistema de coordenadas

No espaço n-dimensional, um conjunto de n vetores independentes linearmente ancorados a um ponto (denominado a origem). Um grupo de coordenadas especifica um ponto no espaço (ou um vetor da origem) indicando a distância em cada vetor para alcançar o ponto (ou a ponta do vetor).

subconsulta correlacionada

Uma subconsulta que faz referência a uma coluna na instrução exterior. A consulta interna é executada para cada linha de candidato na instrução exterior.

janela de contagem

Uma janela com um tamanho de janela variável que circula uma linha de tempo com cada hora de início de eventos distintos.

referendar

Assinar um documento já assinado pela outra parte.

ocupação da CPU

Uma estatística do SQL Server que relata o tempo, em milissegundos, que a unidade de processamento central (CPU) gastou em trabalho do SQL Server.

rastreamento

O processo de examinar o conteúdo para compilar e manter um índice.

credenciais

Informações que incluem identificação e prova de identificação que são usadas para obter acesso a recursos locais e de rede. Exemplos de credenciais são nomes de usuários e senhas, cartões inteligentes e certificados.

encadeamento de propriedades de bancos de dados

Uma cadeia de propriedade que percorre mais de um banco de dados.

validação cruzada

Um método para avaliar a exatidão de um modelo de mineração de dados.

evento CTI

Um evento de pontuação especial que indica a conclusão dos eventos existentes.

cubo

Um conjunto de dados organizados e resumidos em uma estrutura multidimensional que é definida por um conjunto de dimensões e medidas.

função de cubo

Uma coleção de usuários e grupos com o mesmo acesso a um cubo. Uma função de cubo é criada quando você atribui uma função de banco de dados a um cubo e ela se aplica apenas a esse cubo.

evento de incremento de tempo atual

Um evento de pontuação especial que indica a conclusão dos eventos existentes.

cursor

Uma entidade que é mapeada em um conjunto de resultados e estabelece uma posição em uma única linha dentro do conjunto de resultados.

degradação de cursor

O retorno de um tipo de cursor diferente daquele que o usuário havia declarado.

biblioteca de cursores

Uma parte do ODBC e APIs (interfaces de programação de aplicativo) de DB-Library que implementa cursores do cliente.

rollup personalizado

Um cálculo de agregação personalizado para um nível de dimensão ou membro e que substitui as funções de agregação de medidas de um cubo.

regra personalizada

Em uma função, uma especificação que limita os membros de dimensão ou células de cubo que os usuários da função têm permissão para acessar.

variável personalizada

Uma variável fornecida por desenvolvedores de pacote.

volume personalizado

Um volume que não está no pool de armazenamento de DPM e é especificado para armazenar os pontos réplica e recuperação para um membro do grupo de proteção.

proteção cíclica

Um tipo de proteção entre dois servidores de DPM onde cada servidor protege os dados no outro.

DAC

Um aplicativo que captura o banco de dados do SQL Server e os objetos de instância usados por um aplicativo cliente-servidor ou de 3 camadas.

instância do DAC

Uma cópia de um DAC implantando em uma instância do Mecanismo de Banco de Dados. Pode haver várias instâncias do DAC na mesma instância do Mecanismo de Banco de Dados.

pacote de DAC

Um manifesto de XML que contém todos os objetos definidos para o DAC; o pacote é criado quando um desenvolvedor cria um projeto do DAC.

arquivo do pacote de DAC

O arquivo XML que é o contêiner de um pacote de DAC.

política de substituição do DAC

Uma política de PBM que inclui um conjunto de condições que servem como pré-requisitos na instância de destino do SQL Server, onde o DAC pode ser implantado.

projeto DAC

Um projeto do Visual Studio usado por desenvolvedores de banco de dados para criar e desenvolver um DAC. Projetos DAC têm total suporte do Visual Studio e do controle do código-fonte VSTS, controle de versão e gerenciamento de projeto de desenvolvimento.

adaptador de dados

Um objeto usado para enviar dados a e recuperar dados de bancos de dados, serviços Web e arquivos em linguagem XML.

backup de dados

Qualquer backup que inclua a imagem completa de um ou mais arquivos de dados.

compartimentalização de dados

O processo de agrupar dados em compartimentos específicos ou em grupos de acordo com critérios definidos.

bloco de dados

Em dados text, ntext e image, um bloco de dados é a unidade de dados transferida de uma vez entre um aplicativo e uma instância do SQL Server. O termo também é aplicado às unidades de armazenamento para esses tipos de dados.

colocalização de dados

Em DPM, um recurso que habilita a proteção de várias fontes de dados em um único volume ou na mesma fita. Isso lhe permite armazenar mais dados em cada volume ou fita.

conexão de dados

Uma conexão que especifica o nome, tipo, local e, opcionalmente, outras informações sobre um arquivo de banco de dados ou servidor.

Linguagem de Controle de Dados

O subconjunto de instruções SQL usado para controlar permissões em objetos de banco de dados.

convergência de dados

Os dados no Publicador e no Assinante que correspondem.

corrupção de dados

Um processo em que dados em memória ou em disco são alterados sem querer, alterando ou substituindo seu significado.

definição de dados

Os atributos, propriedades e objetos em um banco de dados.

linguagem de definição de dados

Uma linguagem que define todos os atributos e propriedades de um banco de dados, principalmente layouts de registro, definições de campo, campos-chave, locais de arquivo e estratégia de armazenamento.

linguagem de descrição de dados

Uma linguagem que define todos os atributos e propriedades de um banco de dados, principalmente layouts de registro, definições de campo, campos-chave, locais de arquivo e estratégia de armazenamento.

dicionário de dados

Um banco de dados que contém dados sobre todos os bancos de dados em um sistema de banco de dados. Os dicionários de dados armazenam todos os diversos esquemas, as especificações de arquivos e sua localização. Eles também contêm informações sobre quais programas utilizam que tipos de dados e quais usuários têm interesse em que tipos de relatórios.

elemento de dados

Uma única unidade de dados.

explosão de dados

O crescimento exponencial em tamanho de uma estrutura multidimensional, como um cubo, devido ao armazenamento de dados agregados.

extensão de dados

Um plug-in que processa dados para um tipo específico de fonte de dados. Por exemplo, Microsoft OLE DB Provider for DB2.

feed de dados

Um fluxo de dados XML no formato Atom 1.0.

fluxo de dados

O movimento de dados através de um grupo de elementos conectados que extraem, transformam e carregam dados.

componente de fluxo de dados

Um componente do SQL Server 2005 Integration Services que manipula dados.

mecanismo de fluxo de dados

Um mecanismo que executa o fluxo de dados em um pacote.

tarefa de fluxo de dados

A tarefa que encapsula o mecanismo de fluxo de dados que move os dados entre as origens e os destinos, tornando fácil transformar, limpar e modificar os dados durante sua movimentação.

integridade de dados

A exatidão de dados e sua conformidade com o valor esperado, principalmente depois de sua transmissão ou processamento.

linguagem de manipulação de dados

O subconjunto de instruções SQL usado para recuperar e manipular dados. Instruções DML iniciam normalmente com SELECT INSERT UPDATE ou DELETE.

data mart

Um subconjunto do conteúdo de um data warehouse que tende a conter dados focados no nível de departamento, ou em uma área de negócios específica.

membro de dados

Um membro filho associado a um membro pai em uma hierarquia pai-filho. Um membro de dados contém o valor de dados para seu membro pai, em vez do valor agregado dos filhos do pai.

mineração de dados

O processo de identificar padrões comercialmente úteis ou relações em bancos de dados ou outros repositórios de computador pelo uso de ferramentas estatísticas avançadas.

extensão DMX

No Analysis Services, uma instrução que executa tarefas de mineração programaticamente.

treinamento de modelo de mineração de dados

O processo que um modelo de mineração de dados usa para estimar os parâmetros do modelo avaliando um conjunto de dados conhecidos e previsíveis.

extensão de processamento de dados

Um plug-in que processa dados para um tipo específico de fonte de dados (semelhante a um driver de banco de dados).

componente Processador de Dados

Um componente do mecanismo de servidor de relatório que processa dados.

Visualizador de Perfil de Dados

Um utilitário autônomo que mostra a saída do perfil em formato resumido e detalhado com uma capacidade opcional de busca.

provedor de dados

Uma fonte de dados conhecida específica de um tipo de destino que fornece dados a um tipo de coletor.

bomba de dados

Um componente usado no SQL Server 2000 Transformation Services (DTS) para importar, exportar e transformar dados entre repositórios de dados heterogêneos.

região de dados

Um item de relatório que oferece a funcionalidade de manipulação e exibição de dados para dados iterativos de um conjunto de dados subjacente.

anulação de dados

O processo de criação de um data warehouse com dados de vários sistemas OLTP (processamento de transações online).

segmento de dados

A parte da memória ou armazenamento auxiliar que contém os dados usados por um programa.

conjunto de dados

Uma coleção de informações relacionadas constituída de elementos separados que podem ser tratados como uma unidade na manipulação de dados.

exibição da fonte de dados

Uma seleção nomeada de objetos de banco de dados (como tabelas, exibições, relações e procedimentos armazenados, com base em uma ou mais fontes de dados) que define o esquema referenciado por OLAP e objetos de mineração de dados em bancos de dados do Analysis Services. Ela também pode ser usada para definir origens, destinos e tabelas de pesquisa para tarefas de DTS, transformações e adaptadores de dados.

administrador de dados

A pessoa responsável por manter um elemento de dados em um Registro de metadados.

coleta de dados

Coletar dados de um caminho especificado no SQL Server Integration Services. Os dados coletados podem ser gravados em arquivos CSV quando o pacote SSIS é executado, e os clientes podem especificar qual fluxo de dados coletar.

visualizador de dados

Uma ferramenta gráfica que exibe dados enquanto se move entre dois componentes de fluxo de dados em tempo de execução.

data warehouse

O banco de dados que armazena dados de operações por longos períodos de tempo. Estes dados são usados pelo servidor de relatório do Operations Manager 2012 para criar relatórios. Por padrão, esse banco de dados é denominado OperationsManagerDW.

Data warehouse

O banco de dados que armazena dados de operações por longos períodos de tempo. Estes dados são usados pelo servidor de relatório do Operations Manager 2012 para criar relatórios. Por padrão, esse banco de dados é denominado OperationsManagerDW.

administrador de banco de dados

A pessoa que gerencia um banco de dados. O administrador determina o conteúdo, a estrutura interna e a estratégia de acesso para um banco de dados, define a segurança e a integridade, e monitora o desempenho.

catálogo do banco de dados

A parte de um banco de dados que contém a definição de todos os objetos no banco de dados, bem como a definição do banco de dados.

diagrama de banco de dados

Uma representação gráfica de qualquer parte de um esquema de banco de dados. Pode ser uma imagem inteira ou parcial da estrutura do banco de dados. Inclui tabelas, as colunas que elas contêm, e os relacionamentos entre as tabelas.

mecanismo de banco de dados

O módulo ou módulos do programa que fornecem acesso a um sistema de gerenciamento de banco de dados (DBMS).

Orientador de Otimização do Mecanismo de Banco de Dados

Uma ferramenta para ajustar o design de banco de dados físico que ajuda os usuários a selecionarem e criarem um conjunto ideal de índices, exibições indexadas e particionamento.

Gerenciador de Banco de Dados

Uma ferramenta simples de administração de banco de dados que permite que o usuário execute operações de banco de dados, crie novas tabelas, consulte e modifique dados existentes, além de outras funções de desenvolvimento de banco de dados.

arquivo de banco de dados

Um dos arquivos físicos que compõem um banco de dados.

linguagem do banco de dados

A linguagem usada para acessar, consultar, atualizar e gerenciar dados em sistemas de banco de dados relacionais.

sistema de gerenciamento de bancos de dados

Uma camada de software entre um banco de dados físico e o usuário. O DBMS gerencia todo o acesso ao banco de dados.

gerenciador de banco de dados

Uma camada de software entre um banco de dados físico e o usuário. O DBMS gerencia todo o acesso ao banco de dados.

espelhamento de banco de dados

A reprodução imediata de todas as atualizações de um banco de dados de leitura/gravação (o banco de dados principal) em um espelho somente leitura desse banco de dados (o banco de dados espelho) que reside em uma instância separada do mecanismo de banco de dados (o servidor espelho). Em ambientes de produção, o servidor espelho está em outra máquina. O banco de dados espelho é criado pela restauração de um backup total do banco de dados principal (sem recuperação).

Monitor de Espelhamento de Banco de Dados

Uma ferramenta usada para monitorar qualquer subconjunto de bancos de dados espelhados em uma instância de servidor.

parceiro de espelhamento de banco de dados

Um em um par de instâncias de servidor que atuam como parceiros de troca de função para um banco de dados espelhado.

parceiros de espelhamento de banco de dados

Um par de instâncias de servidor que atuam como parceiros de troca de função para um banco de dados espelhado.

projeto de banco de dados

Uma coleção de uma ou mais conexões de dados (um banco de dados e as informações necessárias para acessar esse banco de dados).

referência de banco de dados

Um caminho, expressão ou nome de arquivo que resolve para um banco de dados.

função de banco de dados

Uma coleção de usuários e grupos com o mesmo acesso a um banco de dados do Analysis Services.

esquema de banco de dados

Os nomes de tabelas, campos, tipos de dados, chaves primárias e chaves estrangeiras de um banco de dados.

script de banco de dados

Uma coleção de instruções usadas para criar objetos de banco de dados.

instantâneo do banco de dados

Uma exibição estática do tipo somente leitura de um banco de dados no momento da criação do instantâneo.

estrutura de banco de dados

Os nomes de tabelas, campos, tipos de dados, chaves primárias e chaves estrangeiras de um banco de dados.

Exibição de banco de dados

Um instantâneo estático do tipo somente leitura de um banco de dados de origem no momento da criação da exibição.

consulta de definição de dados

Uma consulta específica de SQL que contém instruções de DDL (linguagem de definição de dados). Estas instruções permitem criar ou alterar objetos no banco de dados.

assinatura controlada por dados

Uma assinatura que leva a saída gerada para valores de assinatura (por exemplo, uma lista de endereços de email de funcionários).

datareader

Um fluxo de dados que é retornado por uma consulta ADO.NET.

aplicativo da camada de dados

Um aplicativo que captura o banco de dados do SQL Server e os objetos de instância usados por um aplicativo cliente-servidor ou de 3 camadas.

instância do aplicativo da camada de dados

Uma cópia de um DAC implantando em uma instância do Mecanismo de Banco de Dados. Pode haver várias instâncias do DAC na mesma instância do Mecanismo de Banco de Dados.

pacote de aplicativo da camada de dados

Um manifesto de XML que contém todos os objetos definidos para o DAC; o pacote é criado quando um desenvolvedor cria um projeto do DAC.

Date

Tipo de dados do sistema SQL Server que armazena um valor de data de 1º de Janeiro, 1 d.C. a 31 de Dezembro, 9999 d.C.

DB

Uma coleção de dados formatados/organizados para permitir pesquisa e recuperação fáceis.

DBCS

Um conjunto de caracteres que pode usar mais de um byte para representar um caractere único. Um DBCS inclui alguns caracteres que consistem em 1 byte e alguns caracteres que consistem em 2 bytes. Idiomas como chinês, japonês e coreano usam o DBCS.

DBMS

Uma camada de software entre um banco de dados físico e o usuário. O DBMS gerencia todo o acesso ao banco de dados.

DDL

Uma linguagem que define todos os atributos e propriedades de um banco de dados, principalmente layouts de registro, definições de campo, campos-chave, locais de arquivo e estratégia de armazenamento.

gatilho DDL

Um tipo especial de gatilho que é executado em resposta às instruções de DDL (Linguagem de Definição de Dados).

deadlock

Uma situação em que dois usuários, cada um tendo um bloqueio em uma parte de dados, tentam adquirir um bloqueio na parte do outro.

apoio à decisão

Sistemas criados para suportar a análise analítica complexa necessária para descobrir tendências comerciais.

árvore de decisão

Um modelo do tipo árvore de dados produzidos por determinados métodos de mineração de dados. Podem ser usadas árvores de decisão para previsão.

declaração

Uma associação de um identificador para as informações que se referem a ele. Por exemplo, fazer uma declaração de uma constante significa associar o nome da constante com seu valor. A declaração normalmente ocorre no código-fonte de um programa; a associação real pode ocorrer em tempo de compilação ou em tempo de execução.

Declarative Management Framework

Um sistema baseado em política do gerenciamento do SQL Server.

Faceta Declarative Management Framework

Um conjunto de propriedades lógicas pré-definidas que modelam o comportamento ou características para certos tipos de destinos gerenciados (como um banco de dados, tabela, logon, exibição etc) em gerenciamento baseado em política.

integridade referencial declarativa

Restrições de FOREIGN KEY definidas como parte de uma definição de tabela que impõem relacionamentos apropriados entre tabelas.

conexão de administrador dedicada

Uma conexão dedicada que permite que um administrador conecte-se a um servidor quando o Mecanismo de Banco de Dados não responder a conexões normais.

DEFAULT

Um valor que é usado automaticamente por um programa quando o usuário não especifica uma alternativa. Padrões são compilados em um programa quando um valor ou opção deve ser assumido para o programa funcionar.

banco de dados padrão

O banco de dados ao qual o usuário é conectado imediatamente após fazer logon no SQL Server.

instância padrão

A instância do SQL Server que usa o mesmo nome que o nome do computador no qual está instalada.

idioma padrão

O idioma humano que o SQL Server usa para erros e mensagens se um usuário não especificar um idioma.

membro padrão

O membro de dimensão usado em uma consulta quando nenhum membro está especificado para a dimensão.

conjunto de resultados padrão

O modo padrão que o SQL Server usa para retornar um conjunto de resultados para um cliente.

remoção

A remoção de um servidor de operações de multisservidor.

transação adiada

Uma transação que não é confirmada quando a fase de roll forward de recuperação é concluída, e que não pode ser revertida durante a inicialização do banco de dados porque os dados necessários pela reversão estão offline. Estes dados podem residir em uma página ou um arquivo.

dimensão de degeneração

Uma relação entre uma dimensão e um grupo de medidas na qual a tabela principal de dimensão é igual a tabela de grupo de medidas.

DEK

Uma cadeia de caracteres de bit que é usada junto com um algoritmo de criptografia para criptografar e descriptografar dados.

modelo de registro delegado

Um modelo de registro no qual uma pessoa diferente do assinante de certificado inicia a transação de certificado. O assinante de certificado conclui a transação inserindo uma senha fornecida uma vez.

cláusula DELETE

Uma parte de uma Instrução DML que contém a palavra-chave DELETE e os parâmetros associados.

nível de exclusão

Em Data Transformation Services, a quantidade e tipo de dados a ser removido de um data warehouse.

identificador delimitado

Um objeto em um banco de dados que requer o uso de caracteres especiais (delimitadores) porque o nome do objeto não é compatível com as regras de formatação de identificadores regulares.

canal de entrega

Um pipeline entre um distribuidor e um serviço de entrega.

tipo de canal de entrega

O protocolo para um canal de entrega, como Protocolo SMTP ou Arquivo.

extensão de entrega

Um plug-in que entrega relatórios para um destino específico (por exemplo, entrega de email).

protocolo de entrega

O conjunto de regras de comunicação usado para rotear mensagens de notificação para sistemas de entrega externos.

desnormalizar

Introduzir redundância em uma tabela para incorporar dados de uma tabela relacionada.

deploy

Compilar uma instância do DAC, ou diretamente de um pacote do DAC ou de um DAC previamente importado para o Utilitário do SQL Server.

ambiente implantado

Um grupo de máquinas virtuais localizadas em um grupo de host de projeto de equipe e controladas pelo Gerenciador de Teste da Microsoft. Um ambiente implantado pode estar sendo executado ou parado.

remover da fila

Remover de uma fila.

coluna derivada

Uma transformação que cria novos valores de coluna com a aplicação de expressões às colunas de entrada de transformação.

desserialização

O processo de converter um objeto de um formato de armazenamento serial para formato binário na forma de um objeto que os aplicativos podem usar. Isto acontece quando o objeto é recuperado do cluster de cache com as APIs de cliente Get.

destino

O componente de fluxo de dados do SSIS que carrega dados em repositórios de dados ou cria conjuntos de dados na memória.

destino

Um provedor de sincronização que fornece seu conhecimento atual, aceita uma lista de alterações do provedor de origem, detecta quaisquer conflitos entre aquela lista e seus próprios itens, e aplica as alterações ao seu repositório de dados.

adaptador de destino

Um componente de fluxo de dados que carrega dados em um repositório de dados.

provedor de destino

Um provedor de sincronização que fornece seu conhecimento atual, aceita uma lista de alterações do provedor de origem, detecta quaisquer conflitos entre aquela lista e seus próprios itens, e aplica as alterações ao seu repositório de dados.

detectar

Localizar algo.

tipo de dispositivo

Um valor de uma lista definida pelo desenvolvedor que especifica os tipos de dispositivos suportados por um determinado aplicativo.

diacrítico

Uma marca colocada sobre, sob, ou através de um caractere, geralmente para indicar uma alteração no valor fonético do estado sem marca.

marca diacrítica

Uma marca colocada sobre, sob, ou através de um caractere, geralmente para indicar uma alteração no valor fonético do estado sem marca.

dialeto

As regras gerais e de sintaxe usadas para analisar uma cadeia de caracteres ou uma instrução de consulta.

relação em forma de losango

Uma cadeia de relações de atributo que se divide e volta a se reunir, mas sem conter nenhuma relação redundante. Por exemplo, Dia->Mês->Ano e Dia->Trimestre->Ano têm os mesmos pontos iniciais e de extremidade, mas não têm nenhuma relação comum.

diferenciador

Uma interface para uma ferramenta que cria um objeto DifferencingService.

backup diferencial

Um backup que contém somente alterações feitas no banco de dados desde o backup de dados anterior no qual o backup diferencial é baseado.

base diferencial

O backup completo mais recente de todos os dados em um banco de dados ou em um subconjunto dos arquivos ou grupos de arquivos de um banco de dados.

entrega de resumo

Um método de enviar notificações que combina diversas notificações dentro de um lote e envia a mensagem resultante para um assinante.

certificado digital

Um documento digital geralmente usado para autenticação e para ajudar a proteger informações em uma rede. Um certificado associa uma chave pública a uma entidade que contém a chave privada correspondente. Os certificados são assinados digitalmente pela autoridade de certificação que os emite e podem ser emitidos para um usuário, computador ou serviço.

dimensão

Um atributo estrutural de um cubo que organiza dados em níveis. Por exemplo, uma dimensão de Geografia pode incluir os membros País, Região, Estado ou Província e Cidade.

expressão de dimensão

Uma linguagem MDX válida que retorna uma dimensão.

granularidade da dimensão

O mais baixo nível disponível para uma dimensão específica em relação a um grupo de medidas específico. O grão "natural" ou físico é sempre o da chave que une a tabela de dimensão principal à tabela de fato primária.

hierarquia de dimensão

Uma estrutura de árvore lógica que organiza os membros de uma dimensão, de forma que cada membro tenha um membro pai e zero ou mais membros filho.

nível da dimensão

O nome de um conjunto de membros em uma hierarquia de dimensão, de forma que todos os membros do conjunto estejam na mesma distância da raiz da hierarquia. Por exemplo, uma hierarquia de tempo pode conter os níveis de Ano, Mês e Dia.

membro de dimensão

Uma única posição ou item em uma dimensão. Membros de dimensão podem ser definidos ou predefinidos pelo usuário e podem ter propriedades associadas a eles.

propriedade do membro de dimensão

Uma característica de um membro de dimensão. Propriedades do membro de dimensão podem ser alfanuméricas, boolianas ou tipos de dados de data/hora. Elas também podem ser definidas ou predefinidas pelo usuário.

tabela de dimensões

Uma tabela em um data warehouse cujas entradas descrevem dados em uma tabela de fatos.

conexão direta

O estado de estar conectado a um banco de dados de back-end, de modo que todas as alterações feitas em um diagrama de banco de dados atualizem automaticamente o banco de dados quando você salvar o diagrama ou os itens selecionados nele.

modo de resposta direta

O modo padrão no qual as estatísticas do SQL Server são reunidas separadamente da exibição das Estatísticas do SQL Server.

página suja

Uma página de buffer que contém modificações que não foram gravadas em disco.

leitura suja

Uma leitura que contém dados não confirmados.

índice desabilitado

Qualquer índice que foi marcado como desabilitado. Um índice desabilitado não está disponível para uso pelo mecanismo de banco de dados. A definição de um índice desabilitado permanece no catálogo do sistema sem nenhum dado de índice subjacente.

sinal discreto

Uma série temporal que consiste em uma sequência de quantidades, que é uma série temporal que é uma função sobre um domínio de inteiros discretos.

discretizar

Colocar valores de um conjunto contínuo de dados em grupos de modo que haja um número discreto de possíveis estados.

coluna de dados discretos

Uma coluna que representa dados finitos, contados

medida de contagem distinta

Uma medida normalmente usada para determinar para cada membro de uma dimensão quantos membros de nível inferior e distintos de outra dimensão compartilham linhas da tabela de fatos.

exibição particionada distribuída

Uma exibição que une dados particionados horizontalmente de um conjunto de tabelas membro em mais de um servidor, fazendo os dados parecerem ser de uma tabela.

consulta distribuída

Uma única consulta que acessa dados de várias fontes de dados.

transação distribuída

Uma transação que abrange várias fontes de dados.

distribution cleanup agent

Um trabalho agendado que é executado no SQL Server Agent. Depois que todos os Assinantes receberam uma transação, o agente remove a transação do banco de dados de distribuição. Ele também limpa os arquivos de instantâneo do sistema de arquivos depois que as entradas que correspondem a esses arquivos tiverem sido removidas do banco de dados de distribuição.

distribution database

Um banco de dados no Distribuidor que armazena dados para replicação inclusive transações, trabalhos de instantâneo, status de sincronização e informações de histórico de replicação.

período de retenção da distribuição

Na replicação transacional, a quantidade de transações de tempo são armazenadas no banco de dados de distribuição.

distributor

Uma instância do banco de dados que atua como um repositório de dados específicos à replicação associados a um ou mais Publicadores.

DMF

Um dos conjuntos de funções internas que retorna informações de estado de servidor sobre valores, objetos e configurações no SQL Server.

DML

O subconjunto de instruções SQL usado para recuperar e manipular dados. Instruções DML iniciam normalmente com SELECT INSERT UPDATE ou DELETE.

gatilho DML

Um procedimento armazenado que é executado quando dados em uma tabela especificada são modificados.

DMV

Um conjunto exibições internas que retornam informações de estado de servidor sobre valores, objetos e configurações no SQL Server.

DMX

No Analysis Services, uma instrução que executa tarefas de mineração programaticamente.

domínio

O conjunto de possíveis valores que você pode especificar para uma variável independente em uma função, ou para um atributo de banco de dados.

domínio

Uma coleção de computadores em um ambiente transmitido em rede que compartilham um banco de dados comum, banco de dados de diretório ou árvore. Um domínio é administrado como uma unidade com regras e procedimentos comuns, que podem incluir políticas de segurança e cada domínio tem um nome exclusivo.

contexto de domínio

Uma representação do lado do cliente de um serviço de domínio.

integridade de domínio

A validade de entradas para uma coluna específica de dados.

operação de domínio

Um método em um serviço de domínio que é exposto a um aplicativo cliente. Permite aplicativos cliente para executar uma ação na entidade como consultar, atualizar, inserir ou excluir registros.

serviço de domínio

Um serviço que encapsula a lógica comercial de um aplicativo. Expõe um conjunto de operações de domínio relacionadas em uma camada de serviço.

sessão inativa

Sessão em estado de pré-logon. As sessões podem ser iniciadas ou finalizadas para modificar seus estados, mas, em geral, permanecem no estado "sleep/idle", como quando a sessão foi iniciada e está aberta no servidor para uso do cliente; ou no estado "dormant", como quando a sessão foi finalizada e não está disponível atualmente no servidor para uso do cliente.

conjunto de caracteres de dois bytes

Um conjunto de caracteres que pode usar mais de um byte para representar um caractere único. Um DBCS inclui alguns caracteres que consistem em 1 byte e alguns caracteres que consistem em 2 bytes. Idiomas como chinês, japonês e coreano usam o DBCS.

conjunto de caracteres de dois bytes

Um conjunto de caracteres que pode usar mais de um byte para representar um caractere único. Um DBCS inclui alguns caracteres que consistem em 1 byte e alguns caracteres que consistem em 2 bytes. Idiomas como chinês, japonês e coreano usam o DBCS.

inativo

Não funcionando, em referência a computadores, impressoras, linhas de comunicações em redes e outros tipos de hardware.

artigo de somente download

Um artigo em uma publicação de mesclagem que pode ser atualizado somente no Publicador ou em um Assinante que usa uma assinatura de servidor.

cliente DPM

O cliente DPM (Data Protection Manager) permite que o usuário proteja e recupere seus dados de acordo com a política de proteção de empresa configurada pelo administrador de backup.

Mecanismo DPM

Um mecanismo orientado por política que o DPM usa para proteger e recuperar dados.

Shell de Gerenciamento do DPM

O shell de comandos, baseado no Windows PowerShell (Powershell.exe) que disponibiliza os cmdlets que executam funções no Data Protection Manager.

DPM Online

Um recurso que fornece um backup remoto online, para armazenar dados com segurança fora do local por longa duração e também para DR (recuperação de desastres).

conta do DPM Online

Uma conta de usuário que o DPM usa para iniciar o serviço do DPM Online.

cache do DPM Online

Um volume de cache exigido pelo DPM Online no qual o servidor de DPM armazena informações para backup e recuperação mais rápidos do DPM Online.

proteção do DPM Online

O processo de usar DPM online para proteger dados de perda ou dano criando e mantendo réplicas e pontos de recuperação dos dados online.

grupo de proteção do DPM Online

Uma coleção de fontes de dados que compartilham a mesma configuração da proteção do DPM Online.

recuperação do DPM Online

O processo pelo qual um administrador recupera versões anteriores de dados protegidos de pontos de recuperação online em um servidor de DPM conectado à Internet.

ponto de recuperação do DPM Online

A data e a hora de uma versão anterior de uma fonte de dados que está disponível no DPM Online.

réplica do DPM Online

Uma cópia completa de uma fonte de dados protegida online no DPM Online. Cada membro de um grupo de proteção online no servidor de DPM está associado a uma réplica do DPM Online.

função DPM

O agrupamento de usuários, objetos e permissões que é usado por administradores do DPM para gerenciar recursos do DPM que são usados por usuários finais.

Ferramenta de Configuração de Recuperação de Autoatendimento do DPM

Uma ferramenta que permite que os administradores do DPM autorizem usuários finais a executar a recuperação de autoatendimento de dados criando e gerenciando funções DPM (agrupamento de usuários, objetos e permissões).

Ferramenta de Recuperação de Autoatendimento do DPM

Ferramenta usada por usuários finais para recuperar backups do DPM, sem qualquer ação necessária do administrador do DPM. 

Ferramenta de Autoatendimento do DPM para SQL Server

Ferramenta do SQL Server que permite que os administradores de backup autorizem usuários finais a recuperar backups de bancos de dados do SQL Server a partir do DPM, sem ação adicional do administrador de backup.

DPM SRT

Software fornecido com o DPM para facilitar uma recuperação bare-metal do Windows Server 2003 para o servidor do DPM e os computadores que o DPM protege.

DPM SST para SQL Server

Ferramenta do SQL Server que permite que os administradores de backup autorizem usuários finais a recuperar backups de bancos de dados do SQL Server a partir do DPM, sem ação adicional do administrador de backup.

DPM System Recovery Tool

Software fornecido com o DPM para facilitar uma recuperação bare-metal do Windows Server 2003 para o servidor do DPM e os computadores que o DPM protege.

DQS

Um sistema de qualidade de dados baseado em conhecimento que permite que os usuários executem operações de descoberta e gerenciamento de conhecimento, limpeza de dados, correspondência de dados, integração com serviços de dados de referência e criação de perfil integrada.

base de dados de conhecimento do DQS

Um repositório de metadados que são usados pelo Data Quality Services para melhorar a qualidade de dados. Estes metadados são criados interativamente pelo usuário ou pela plataforma Data Quality Services em um processo automatizado de descoberta de conhecimento.

detalhamento

No Analysis Services, uma técnica para recuperar os dados detalhados dos quais os dados em uma célula de cubo foram resumidos.

relatório detalhado

Um relatório secundário que é exibido quando um usuário clica em um item em um relatório. Os dados detalhados são exibidos no mesmo relatório.

lista suspensa

Uma lista que pode ser aberta para revelar todas as escolhas para um determinado campo.

DSN

A coleção de informações usadas para conectar um aplicativo a um banco de dados de ODBC específico.

conexão sem DSN

Um tipo de conexão de dados criado com base em informações em um DSN (nome da fonte de dados), mas que é armazenado como parte de um projeto ou aplicativo.

despejo

Uma duplicata de um programa, disco ou dados, criada para fins de arquivamento ou para salvaguardar arquivos.

dispositivo de despejo

Uma unidade de fita ou de disco que contém uma mídia de backup.

cursor dinâmico

Um cursor que pode refletir modificações de dados feitas nos dados subjacentes enquanto o cursor está aberto.

filtro dinâmico

Um filtro de linha disponível com replicação de mesclagem que permite restringir os dados replicados a um Assinante com base em uma função do sistema ou em uma função definida pelo usuário (por exemplo: SUSER_SNAME()).

bloqueio dinâmico

O processo usado pelo SQL Server para determinar os bloqueios mais econômicos a serem usados a qualquer momento.

função de gerenciamento dinâmico

Um dos conjuntos de funções internas que retorna informações de estado de servidor sobre valores, objetos e configurações no SQL Server.

exibição de gerenciamento dinâmico

Um conjunto exibições internas que retornam informações de estado de servidor sobre valores, objetos e configurações no SQL Server.

recuperação dinâmica

O processo que detecta e/ou tenta corrigir falha de software ou perda de integridade de dados dentro de um sistema de gerenciamento de bancos de dados relacionais (RDBMS).

roteamento dinâmico

Roteamento que ajusta-se automaticamente às condições atuais de uma rede. O roteamento dinâmico geralmente usa um de vários protocolos do roteamento dinâmico como RIP (Routing Information Protocol) e BGP (Border Gateway Protocol). Compare com roteamento estático.

instantâneo dinâmico

Na replicação de mesclagem, um instantâneo que inclui somente os dados de uma única partição.

carregamento adiantado

Um padrão de carregamento em que um conjunto específico de objetos relacionados é carregado junto com os objetos que foram solicitados explicitamente na consulta.

evento de borda

Um evento cuja carga é válida para um determinado intervalo. Entretanto, apenas a hora de início é conhecida no momento da chegada ao servidor CEP. A hora de término válida do evento é fornecida posteriormente em um evento de borda separado.

política efetiva

O conjunto de políticas habilitadas para um destino.

email

A troca de mensagens de texto e arquivos de computador em uma rede de comunicação, como uma rede local ou a Internet.

criptografia

O processo de converter dados legíveis (texto não criptografado) em um formulário codificado (texto cifrado) para impedi-lo de ser lido por uma parte não autorizada.

chave de criptografia

Uma cadeia de caracteres de bit que é usada junto com um algoritmo de criptografia para criptografar e descriptografar dados.

proteção final

Para caminhos que contêm extremidades não conectadas, como linhas, o término de um traço. Você pode alterar a aparência do traço em cada extremidade aplicando um de quatro estilos de proteção final: proteção plana, proteção redonda, proteção quadrada e proteção triangular.

ponto de extremidade

Um provedor de sincronização e sua réplica associada.

mapeador de pontos de extremidade

Um serviço em um servidor RPC (chamada de procedimento remoto) que mantém um banco de dados de pontos de extremidade dinâmicos e permite que clientes mapeiem um par de UUID de interface/objeto para um ponto de extremidade dinâmico local.

enfileirar

Colocar (um item) em uma fila.

inscrever

Adicionar uma instância de SQL Server ao conjunto de instâncias de SQL Server gerenciadas por um ponto de controle de utilitário.

inscrição

O processo de solicitar, receber e instalar um certificado.

agente de inscrição

Uma conta de usuário usada para solicitar certificados de cartão inteligente em nome de outra conta de usuário. Um modelo de certificado específico é aplicado a um Agente de Matrícula.

licença Enterprise

Uma licença que autoriza a proteção de arquivo e recursos de aplicativo em um único computador.

entidade

No Reporting Services, uma coleção lógica de itens de modelo, inclusive campos de origem, funções, pastas e expressões, apresentados em termos de negócios familiares.

integridade de entidade

Um estado no qual cada linha de cada tabela pode ser identificada exclusivamente.

fórmula de envelopes

Uma fórmula financeira que calcula "envelopes" acima e abaixo de uma média móvel usando uma porcentagem especificada como o deslocamento. O indicador de envelopes é usado para criar sinais para comprar e vender. Você pode especificar a porcentagem que a fórmula usa para calcular os envelopes.

junção por igualdade

Uma junção na qual os valores nas colunas unidas são comparados em termos de igualdade e todas as colunas são incluídas nos resultados.

projeção equirretangular

Em um item de relatório de mapa, uma projeção cilíndrica equidistante muito simples na qual a coordenada horizontal é a longitude e a coordenada vertical é a latitude. 

tratamento de erros

O processo de lidar com erros (ou exceções) assim que eles ocorrem durante a execução de um programa. Algumas linguagens de programação, como C++, Ada e Eiffel, têm recursos que ajudam no tratamento de erros.

Lista de Erros

O nome de um painel que mostra erros na sintaxe T-SQL ou de dependência.

log de erros

Um arquivo que lista erros que foram encontrados durante uma operação.

número de estado do erro

Um número associado às mensagens do SQL Server que ajuda os engenheiros de suporte da Microsoft a localizar o local específico do código que emitiu a mensagem.

ETL

O ato de extrair dados de várias origens, transformando dados em tipos consistentes e carregando os dados transformados para serem usados por aplicativos.

coletor de log baseado em ETW

Uma maneira de capturar eventos de rastreamento no cliente de cache ou host de cache com a estrutura do ETW (Rastreamento de Eventos para Windows) dentro do Windows.

event

A unidade básica de dados processados pelo servidor StreamInsight. Cada evento contém um cabeçalho que define o tipo de evento e as propriedades temporais do evento. Um evento (exceto o evento CTI) normalmente contém uma carga que é uma estrutura de dados do .NET contendo os dados associados ao evento.

event

Qualquer ocorrência significativa no sistema ou em um aplicativo que requer que um usuário seja notificado ou que uma entrada seja adicionada a um log.

categoria de evento

No Rastreamento do SQL, um agrupamento de classes de evento semelhantes e logicamente relacionadas.

crônica de eventos

Uma tabela que armazena informações de estado do evento.

regra de crônica de eventos

Uma ou mais instruções Transact-SQL que gerenciam os dados na crônica de eventos.

classe de evento

No Rastreamento do SQL, uma coleção de propriedades que definem um evento.

classificação de eventos

Um meio de diferenciar tipos de eventos que ocorrem no cliente de cache e no host de cache. Os coletores de logs do Windows Server AppFabric seguem a classificação estabelecida com a enumeração System.Diagnostics.TraceLevel.

procedimentos armazenados de coleção de eventos

Procedimentos armazenados gerados pelo sistema que um aplicativo pode chamar para enviar eventos para a tabela de eventos no banco de dados do aplicativo.

manipulador de eventos

Uma rotina de software que é executada em resposta a um evento.

cabeçalho do evento

A parte de um evento que define as propriedades temporais do evento e o tipo de evento. As propriedades temporais incluem uma hora de início válida e a hora de término associada ao evento.

tipo de evento

Metadados de evento que definem o tipo de evento.

modelo de evento

Os metadados de evento que definem as características temporais (formato) do evento.

notificação de eventos

Um tipo especial de gatilho que envia informações sobre eventos de banco de dados a um service broker.

carga do evento

A parte de dados de um evento no qual os campos de dados são definidos como tipos CLR (common language runtime). Carga do evento é uma estrutura tipada.

provedor de eventos

Um provedor que monitora uma origem de eventos e notifica a tabela de eventos quando os eventos ocorrem.

origem do evento

O ponto de origem de um evento.

tabela de eventos

Uma tabela no banco de dados do aplicativo que armazena dados de evento.

Coletor de log baseado em ETW (Rastreamento de Eventos do Windows)

Uma maneira de capturar eventos de rastreamento no cliente de cache ou host de cache com a estrutura do ETW (Rastreamento de Eventos para Windows) dentro do Windows.

Todos

Um tipo de conta do usuário.

remoção

A remoção física de um objeto armazenado em cache da memória do host de cache ou hosts em que estão armazenados. Isto é feito normalmente para controlar o uso de memória do serviço de host de cache.

bloqueio exclusivo

Um bloqueio que impede que qualquer outra transação adquira um bloqueio em um recurso até que o bloqueio original no recurso seja liberado no final da transação.

executar

Executar uma instrução.

painel Plano de Execução

Um das guias que hospeda a saída de plano de execução real ou estimado usado pelo SQL Server.

árvore de execução

O caminho de dados no fluxo de dados de um pacote do SQL Server 2005 Integration Services de fontes até transformações e destinos.

módulo de saída

Um componente dos Serviços de Certificados que executa pós-processamento depois que um certificado é emitido, como a publicação de um certificado emitido para Active Directory.

validade

O ponto no qual um objeto excedeu o valor de tempo limite de cache. Quando um objeto expira, é removido.

extremidade explícita

Uma hierarquia explícita usada como o nível superior de uma estrutura de hierarquia derivada.

hierarquia explícita

No Master Data Services, uma hierarquia que usa membros consolidados para agrupar outros membros consolidados e membros folha. 

carregamento explícito

Um padrão de carregamento em que objetos relacionados não são carregados até que sejam explicitamente solicitados usando o método Load em uma propriedade de navegação.

transação explícita

Um grupo de instruções SQL incluído dentro de delimitadores de transações que definem o início e término da transação.

pizza destacada

Um gráfico de pizza que exibe a contribuição de cada valor para um total enfatizando valores individuais, mostrando cada fatia da pizza como "arrancada" ou separada do todo.

gráfico de pizza destacada.

Um gráfico de pizza que exibe a contribuição de cada valor para um total enfatizando valores individuais, mostrando cada fatia da pizza como "arrancada" ou separada do todo.

média móvel exponencial

Uma média móvel de dados que dá mais peso para os dados mais recentes no período e menos peso para os dados mais antigos no período. A fórmula aplica fatores de importância que diminuem exponencialmente. A importância para cada ponto de dados mais antigo diminui exponencialmente, dando muito mais relevância a observações recentes, embora não descartando completamente as observações mais antigas.

formato de exportação

Texto de interface de usuário para assinaturas e visualizador de HTML. Corresponde a extensões de renderização.

expressão

Qualquer combinação de operadores, constantes, valores literais, funções e nomes de campos (colunas), controles e propriedades que são avaliadas como um único valor.

assembly de host de expressões

Todas as expressões localizadas dentro de um relatório que são compiladas em um assembly. O assembly de host de expressões é armazenado como uma parte do relatório compilado.

permissão estendida

Uma permissão que é específica a um objeto adicionado ao esquema de objeto padrão do Active Directory. A permissão associada ao novo objeto estende o conjunto de permissões padrão existente.

propriedade estendida

Texto definido pelo usuário (descritivo ou instrutivo, incluindo máscaras de entrada e regras de formatação) específico para um banco de dados ou objeto de banco de dados. O texto é armazenado no banco de dados como uma propriedade do banco de dados ou do objeto.

Proteção Estendida para Autenticação

Um recurso de segurança que ajuda a proteger contra ataques MITM (a intermediários).

procedimento armazenado estendido

Uma função em uma biblioteca de links dinâmicos (DLL) que é codificada usando a API do Procedimento Armazenado Estendido do SQL Server. Em seguida, a função pode ser invocada no Transact-SQL usando as mesmas instruções que são usadas para executar procedimentos armazenados do Transact-SQL.

Linguagem XSL

Um vocabulário XML que é usado para transformar dados XML em outro formato, como HTML, por meio de uma folha de estilo que define as regras de apresentação.

Linguagem XSL Transformation

Linguagem declarativa baseada em XML usada para apresentar ou transformar dados XML.

Linguagem XSL Transformations

Linguagem declarativa baseada em XML usada para apresentar ou transformar dados XML.

extensão

Em um disco ou outro dispositivo de armazenamento de acesso direto, um bloco contínuo de espaço de armazenamento reservado pelo sistema operacional para um arquivo específico ou programa.

sistema de entrega externo

Um sistema, como o Microsoft Exchange Server que entrega notificações formatadas a dispositivos de destino.

extrair

Compilar um arquivo de pacote de DAC que contém as definições de todos os objetos em um banco de dados existente, assim como objetos de instância que estão associados ao banco de dados.

extração, transformação e carregamento

O ato de extrair dados de várias origens, transformando dados em tipos consistentes e carregando os dados transformados para serem usados por aplicativos.

faceta

Um conjunto de propriedades lógicas pré-definidas que modelam o comportamento ou características para certos tipos de destinos gerenciados (como um banco de dados, tabela, logon, exibição etc) em gerenciamento baseado em política.

Faceta

Um conjunto de propriedades lógicas pré-definidas que modelam o comportamento ou características para certos tipos de destinos gerenciados (como um banco de dados, tabela, logon, exibição etc) em gerenciamento baseado em política.

propriedades da faceta

Uma propriedade predefinida que se aplica a uma faceta específica no Gerenciamento Baseado em Políticas.

fato

Uma linha em uma tabela de fatos em um data warehouse. Um fato contém valores que definem um evento de dados, como uma transação de vendas.

dimensão de fatos

Uma relação entre uma dimensão e um grupo de medidas na qual a tabela principal de dimensão é igual a tabela de grupo de medidas.

tabelas de fatos

Uma tabela central em um esquema de data warehouse que contém medidas e chaves numéricas que relacionam fatos a tabelas de dimensão.

método da fábrica

Um método, geralmente definido como estático, cujo propósito é retornar uma instância de uma classe.

failover

Alternar o processamento de um componente com falha para seu componente de backup.

transação com falha

Uma transação que encontrou um erro e não pôde ser concluída.

cluster de failover

Um grupo de servidores que estão em um local e que são conectados em rede com a finalidade de fornecer backup ativo em caso de falha de um dos servidores.

clustering de failover

Um processo de alta disponibilidade no qual uma instância de um aplicativo ou um serviço, executando em um computador, possa realizar failover em outro computador no cluster de failover no caso de falha do primeiro.

parceiro de failover

O servidor usado se a conexão com o servidor parceiro falhar.

operador à prova de falhas

Um usuário que receberá o alerta, se o operador designado não puder ser atingido.

notificação de falha

Um tipo de notificação de cache disparada quando o cliente de cache perde uma ou mais notificações de cache.

erro fatal

Um erro que faz o sistema ou um programa falhar abruptamente sem esperança de recuperação. Um exemplo de um erro fatal é uma exceção não identificada que não pode ser tratada.

servidores de bancos de dados federados

Um conjunto de servidores vinculados que compartilha a carga de processamento de dados hospedando partições de uma exibição particionada distribuída.

consumidor de feed

Um componente de software que extrai itens de um feed do FeedSync e os aplica a uma réplica de destino usando um provedor de sincronização.

fibra

Um thread leve do Windows NT programado dentro de um único thread de SO.

modo fibra

Uma situação em que uma instância do SQL Server aloca um thread do Windows por agendador de SQL e, em seguida, aloca uma fibra por thread de trabalho, até atingir o valor definido na opção de máximo de threads de trabalho.

campo

Uma área em uma janela ou registro que armazena um único valor de dados.

tamanho do campo

Na cópia em massa, o número máximo de caracteres necessários para representar um item de dados em um arquivo de dados de formato de caractere de cópia em massa.

marshaler de campos

Um recurso do SQL Server que trata o marshaling para os campos.

terminador de campo

Na cópia em massa, um ou mais caracteres que marcam o final de um campo ou uma linha, separando um campo ou uma linha no arquivo de dados do próximo.

backup de arquivo

Um backup de todos os dados contidos em um ou mais arquivos ou grupos de arquivos.

backup diferencial de arquivo

Um backup de um ou mais arquivos que contêm somente alterações feitas em cada arquivo desde seu backup de arquivo mais recente. Um backup diferencial de arquivo exige um backup de arquivo completo como base.

DSN de arquivo

nomes de fontes de dados de arquivos. Fontes de dados baseadas em arquivo compartilhadas entre todos os usuários com os mesmos drivers instalados. Estas fontes de dados não são dedicadas a um usuário ou locais para um computador.

mapeamento de arquivo

A associação do conteúdo de um arquivo com uma parte do espaço do endereço virtual de um processo.

restauração de arquivo

Uma operação que restaura um ou mais arquivos de um banco de dados.

substituição de arquivo

O processo quando um programa fecha um arquivo, com base em um determinado evento, e cria um novo arquivo.

grupo de arquivos

Uma coleção nomeada de um ou mais arquivos de dados que formam uma única unidade de alocação de dados ou de administração de um banco de dados.

objeto de mapeamento de arquivo

Um objeto que mantém a associação do conteúdo de um arquivo com uma parte do espaço de endereço virtual de um processo.

fluxo de arquivos

Uma sequência de bytes usada para armazenar dados de arquivos.

fator de preenchimento

Um atributo de um índice que define o quanto o Mecanismo de Banco de Dados do SQL Server deve preencher cada página do índice.

conhecimento esquecido de filtro

O conhecimento que é usado como o ponto de partida para controle de filtro. Uma réplica de controle de filtro pode economizar espaço de armazenamento removendo fantasmas e avançando o conhecimento esquecido de filtro para conter a versão de nível mais alto dos fantasmas removidos.

chave de filtro

Um valor de 4 bytes que mapeia para um filtro em um mapa de chave de filtro.

réplica filtrada

Uma réplica que armazena dados de item apenas para itens que estão em um filtro, como uma réplica de armazenamento de mídia que armazena apenas músicas classificadas como três estrelas ou mais.

réplica de controle de filtro

Uma réplica que pode identificar quais itens estão em um filtro e quais foram movidos para dentro ou para fora do filtro recentemente.

bloqueio refinado

Um bloqueio que se aplica a uma pequena quantidade de códigos ou dados.

ajuste

Um dos critérios usados para avaliar o êxito de um algoritmo de mineração de dados. O ajuste é representado geralmente como um valor entre 0 e 1 e é calculado usando a covariância entre os valores previstos e reais de casos avaliados e dividindo-os pelos desvios padrão dos mesmos valores previstos e reais.

função de banco de dados fixa

Uma função predefinida que existe em cada banco de dados. O escopo da função é limitado ao banco de dados no qual está definido.

função de servidor fixa

Uma função predefinida que existe no nível de servidor. O escopo da função é limitado à instância do SQL Server na qual está definido.

FK

Uma chave em uma tabela de banco de dados originada por outra tabela (também conhecida como 'tabela referenciada') e cujos valores coincidem com a chave primária (PK) ou a chave exclusiva na tabela referenciada.

arquivo simples

Um arquivo que consiste em registros de um único tipo de registro, no qual não há nenhuma informação sobre estrutura inserida que administre relações entre os registros.

mesclar

Converter uma estrutura aninhada em uma estrutura plana.

interface combinada

Uma interface criada para combinar os membros de várias interfaces.

conjunto de linhas bidimensional

Um conjunto de dados multidimensional apresentado como um conjunto de linhas bidimensional no qual combinações exclusivas de elementos de várias dimensões são combinados em um eixo.

ID flexível

Um identificador atribuído a várias entidades de sincronização, como réplicas. O identificador pode ser de comprimento fixo ou variável.

identificador flexível

Um identificador atribuído a várias entidades de sincronização, como réplicas. O identificador pode ser de comprimento fixo ou variável.

número de partições

Um valor que representa o número de partições que serão criadas dentro do conjunto de dados original.

hierarquia de pastas

O namespace associado que identifica exclusivamente todos os relatórios, pastas, itens de fonte de dados compartilhados e recursos que são armazenados e gerenciados por um servidor de relatório.

serviço forçado

Em uma sessão de espelhamento de banco de dados, um failover iniciado pelo proprietário do banco de dados na falha do servidor principal que transfere o serviço do banco de dados espelho enquanto ele estiver em um estado desconhecido. Dados podem ser perdidos.

chave estrangeira

Uma chave em uma tabela de banco de dados originada por outra tabela (também conhecida como 'tabela referenciada') e cujos valores coincidem com a chave primária (PK) ou a chave exclusiva na tabela referenciada.

associação de chave estrangeira

Uma associação entre entidades que é gerenciada por meio de propriedades de chave estrangeira.

tabela estrangeira

Uma tabela que contém uma chave estrangeira.

arquivo de formato

Um arquivo que contém metainformações (como tipo de dados e tamanho de coluna) que é usado para interpretar dados quando são lidos ou gravados em um arquivo de dados e vice-versa.

cursor de somente avanço

Um cursor que não pode ser rolado. As linhas só podem ser lidas em sequência, da primeira até a última.

linguagem de forma livre

Uma linguagem cuja sintaxe não é restringida pela posição de caracteres em uma linha. C e Pascal são linguagens de forma livre; FORTRAN não é.

backup completo

Um backup de um banco de dados inteiro.

backup diferencial completo

Um backup de todos os arquivos no banco de dados, contendo somente alterações feitas no banco de dados desde o backup completo mais recente. Um backup diferencial completo exige um backup completo como base.

junção externa completa

Um tipo de junção externa na qual todas as linhas de todas as tabelas unidas são incluídas, quer elas correspondam ou não. Por exemplo, uma junção externa completa entre títulos e editoras mostra todos os títulos e todas as editoras, até mesmo as que não têm nenhuma correspondência.

modelo de recuperação completa

Um modo de recuperação de banco de dados que registra completamente em log todas as transações, e retém todos os registros de log até depois que o backup desses registros é feito. O banco de dados pode ser recuperado até o momento da falha se o backup do final do log tiver sido feito depois da falha. Há suporte para todos os formatos de recuperação.

catálogo de texto completo

Uma coleção de componentes de índice de texto completo e outros arquivos que são organizados em uma estrutura de diretórios específica e contêm os dados que são necessários para executar consultas.

habilitação de texto completo

O processo de permitir consulta de texto completo para ocorrer no banco de dados atual.

consulta de texto completo

Como uma instrução SELECT, uma consulta que pesquisa palavras, frases ou vários formulários de uma palavra ou frase nas colunas baseadas em caracteres (de tipos de dados char, varchar, text, ntext, nchar ou nvarchar). A instrução SELECT retorna as linhas que atendem aos critérios de pesquisa.

pesquisa de texto completo

Uma pesquisa de um ou mais documentos, registros ou cadeias de caracteres baseada em todos os dados de texto real em vez de em um índice que contém um conjunto limitado de palavras-chave.

serviço de texto completo

O componente do SQL Server que executa a consulta de texto completo.

caractere de largura inteira

Em um conjunto de caracteres de dois bytes, um caractere que é representado por 2 bytes e geralmente tem uma variante de meia largura.

Função

Um parte do código que opera como uma única unidade lógica. Uma função é chamada pelo nome, aceita parâmetros de entrada opcionais e retorna um parâmetro de status e de saída opcional. Muitas linguagens de programação dão suporte a funções.

agrupamento difuso

No Integration Services, uma metodologia de limpeza de dados que examina valores em um conjunto de dados e identifica grupos de linhas de dados relacionados e a linha de dados que é a representação canônica do grupo.

correspondência difusa

Nos Integration Services, uma metodologia de pesquisa que usa um algoritmo compatível aproximado para localizar valores de dados semelhantes em uma tabela de referência.

GAC

Um cache de código do computador que armazena assemblies especificamente instalados para serem compartilhados por muitos aplicativos no computador.

profundidade da lacuna

Uma medida que especifica a distância entre as séries de dados exibidas ao longo das diferentes linhas, como resultado do clustering.

coleta de lixo

Um processo para recuperação automática de memória de heap. Blocos de memória que foram alocados, mas não estão mais em uso, são liberados, e blocos de memória ainda em uso podem ser movidos para consolidar a memória livre em blocos maiores.

coletor de lixo

A parte do sistema operacional que executa a coleta de lixo.

link de entrada

Um link protegido entre dois ou mais objetos. Durante a execução, as permissões, uma vez estabelecidas, não são verificadas em todas as relações de objeto e as credenciais não precisam ser verificadas diversas vezes. Esse tipo de link é útil quando não é apropriado ou gerenciável conceder permissões a muitos objetos dependentes.

operação gather-write

Uma otimização de desempenho onde o Mecanismo de Banco de Dados coleta diversas páginas de dados modificados em uma única operação de gravação.

GC

Um processo para recuperação automática de memória de heap. Blocos de memória que foram alocados, mas não estão mais em uso, são liberados, e blocos de memória ainda em uso podem ser movidos para consolidar a memória livre em blocos maiores.

código gerado

Código que é gerado automaticamente para o projeto de cliente com base em operações e entidades expostas na camada intermediária quando um link do RIA Services existir entre os projetos de servidor e cliente.

gerador

O componente de Notification Services que corresponde eventos a assinaturas e gera notificações.

dados geográficos

Um tipo de dados espaciais que armazena dados elipsoidais (terra redonda), como coordenadas de latitude e longitude de GPS.

dados geométricos

Um tipo de dados espacial que oferece suporte a dados planares ou a dados euclidianos (terra plana).

fantasma

Um item ou unidade de alteração em uma réplica filtrada que estava no filtro e foi removido.

registro fantasma

Linha no nível folha de um índice que foi marcada para exclusão, mas que ainda não foi excluída pelo mecanismo de banco de dados.

linha fantasma

Linha no nível folha de um índice que foi marcada para exclusão, mas que ainda não foi excluída pelo mecanismo de banco de dados.

cache de assembly global

Um cache de código do computador que armazena assemblies especificamente instalados para serem compartilhados por muitos aplicativos no computador.

padrão global

Um padrão que é definido para um banco de dados específico e é compartilhado por colunas de tabelas diferentes.

ID global

Um identificador exclusivo atribuído a um item de dados. O identificador deve ser exclusivo em todos os clientes. Um identificador global é um identificador flexível e, portanto, pode ser de qualquer formato, mas é geralmente um GUID e um prefixo de 8 bytes.

identificador global

Um identificador exclusivo atribuído a um item de dados. O identificador deve ser exclusivo em todos os clientes. Um identificador global é um identificador flexível e, portanto, pode ser de qualquer formato, mas é geralmente um GUID e um prefixo de 8 bytes.

regra global

Uma regra que é definida para um banco de dados específico e compartilhada por colunas de tabelas diferentes.

assinatura global

Uma assinatura em uma publicação de mesclagem com um valor de prioridade atribuído usada para detecção de conflito e resolução.

Globalização

O processo de criar e desenvolver um produto de software para funcionar em várias localidades. A globalização envolve identificar as localidades a que devem dar suporte, criar recursos que dão suporte a essas localidades e escrever código que funciona igualmente bem em qualquer uma das localidades com suporte.

granularidade

Uma descrição, do mais "grosseiro" ao mais "fino", de uma atividade de computador ou recurso (como resolução de tela, pesquisa e classificação ou alocação de intervalo de tempo) em termos do tamanho das unidades que ele administra (pixels, conjuntos de dados ou intervalos de tempo). Quanto maior forem os pedaços, mais grosseira será a granularidade.

atributo de granularidade

O único atributo é usado para especificar o nível de granularidade de uma determinada dimensão em relação a um determinado grupo de medidas.

designer de consultas gráficas

Um designer de consultas fornecido pelos Reporting Services que permite que o usuário crie uma consulta interativamente e veja os resultados de tipos de fonte de dados do SQL Server, Oracle, OLE DB e ODBC.

primitiva gráfica

Uma forma básica (ponto, linha, círculo, curva ou polígono) que um adaptador gráfico pode manipular como uma entidade discreta.

grupo

Uma coleção de usuários, computadores, contatos e outros grupos que é usada como segurança ou como coleções de distribuição de email. Grupos de distribuição são usados somente para email. Grupos de segurança são usados para conceder acesso a recursos e também como listas de distribuição de email.

agrupamento

Um conjunto de dados que é agrupado em um relatório.

caractere de meia-largura

Em um conjunto de caracteres de dois bytes, um caractere que é representado por um byte e geralmente tem uma variante de largura completa.

disco rígido

Uma placa inflexível coberta com material no qual podem ser registrados dados magneticamente com cabeçotes de leitura/gravação.

processador de quebra de página não flexível

Uma extensão de renderização que mantém o layout e a formatação do relatório de forma que o arquivo resultante seja otimizado para uma experiência de impressão, ou para exibir o relatório online em um formato de livro.

hard-coding

O processo de colocar cadeias de caracteres ou literais de caracteres no corpo principal do código, em vez de em arquivos de recurso externos.

hard-coding

Baseando constantes numéricas no comprimento presumido de uma sequência; suposições sobre linguagem ou assuntos específicos de cultura fixos no código - por exemplo, comprimento da cadeia de caracteres, formatos de data etc.

módulo de segurança de hardware

Um dispositivo seguro que fornece recursos criptográficos, geralmente fornecendo chaves privadas usadas em criptografia de chave pública.

token de hardware

Um dispositivo seguro que fornece recursos criptográficos, geralmente fornecendo chaves privadas usadas em criptografia de chave pública.

particionamento hash

Um modo de particionar uma tabela ou índice permitindo que o SQL Server aplique um algoritmo de hash interno a linhas distribuídas em partições com base no número de partições especificadas e os valores de uma ou mais colunas de particionamento.

mapa de calor

Um tipo de representação de mapa na qual a intensidade da cor de cada polígono corresponde aos dados analíticos relacionados. Por exemplo, valores baixos em um intervalo aparecem em azul (frio) e valores altos em vermelho (quente).

assistência técnica

Um indivíduo ou equipe de profissionais de suporte que fornecem assistência técnica para a rede, os dispositivos de hardware e software de uma organização.

dados heterogêneos

Dados armazenados em vários formatos.

árvore hierárquica

Uma estrutura na qual os elementos são relacionados hierarquicamente uns aos outros.

alta disponibilidade

Um recurso do Windows Server AppFabric que oferece suporte a disponibilidade contínua de dados em cache armazenando cópias desses dados em vários hosts de cache.

alta disponibilidade

A capacidade de um sistema ou dispositivo ser usável quando é necessário. Quando expressa como um percentual, a alta disponibilidade é o tempo do serviço real dividido pelo tempo de serviço exigido. Embora a alta disponibilidade não garanta que um sistema não terá nenhum tempo de inatividade, uma rede geralmente será considerada altamente disponível se obtiver 99,999 por cento de tempo de atividade de rede.

marca-d'água alta

Um limite de consumo de memória em cada host de cache que especifica quando os objetos são removidos da memória, independentemente de terem expirado ou não, até que o consumo de memória volte até a marca-d'água baixa.

caixa estreita alta

O valor mais alto que não é um valor discrepante em um gráfico de caixa.

Dica de

Uma opção ou estratégia especificada para aplicação pelo processador de consultas do SQL Server em instruções SELECT, INSERT, UPDATE ou DELETE. A dica substitui qualquer plano de execução que o otimizador de consulta possa selecionar para uma consulta.

Histórico

Uma lista das ações do usuário dentro de um programa, como comandos inseridos em um shell do sistema operacional, menus passados usando Gopher ou links seguidos usando um navegador da Web.

colocação em espera

Refere-se à possibilidade de deixar conjuntos de resultados abertos ("em espera") que tenham sido processados e são fechados normalmente depois disto. Por exemplo: "O SQL Server dá suporte à suspensão somente no nível de conexão".

controle

Uma porcentagem de dados de treinamento que são reservados para uso na medição da exatidão da estrutura do modelo de mineração de dados.

dados de validação

Uma porcentagem de dados de treinamento que são reservados para uso na medição da exatidão da estrutura do modelo de mineração de dados.

repositório de controle

A estrutura de mineração de dados que é usada para armazenar em cache os dados de controle. Ele contém referências aos dados de controle.

Base

Pasta raiz no namespace de pasta de servidor de relatório.

home page

Um documento que serve como um ponto de partida em um sistema de hipertexto. Na World Wide Web, uma página de entrada para um conjunto de páginas da Web e outros arquivos em um site. A home page é exibida por padrão quando um visitante navega para o site usando um navegador da Web.

dados homogêneos

Dados que vêm de várias fontes de dados que são todos gerenciados pelo mesmo software.

salto

Em comunicações de dados, um segmento do caminho entre roteadores em uma rede geograficamente dispersa.

janela de salto

Um tipo de janela na qual janelas consecutivas "saltam" para a frente no tempo por um período fixo. A janela é definida por dois intervalos de tempo: o período P e o comprimento de janela L. Para cada unidade de tempo P uma nova janela de tamanho L é criada.

particionamento horizontal

Segmentar uma única tabela em várias tabelas baseadas em linhas selecionadas.

divisão horizontal

Uma orientação horizontal do shell CIDER.

espera ativa

Um servidor em espera que pode suportar failover rápido sem uma perda de dados de transações confirmadas.

servidor em espera ativa

Um servidor em espera que pode suportar failover rápido sem uma perda de dados de transações confirmadas.

HSM

Um dispositivo seguro que fornece recursos criptográficos, geralmente fornecendo chaves privadas usadas em criptografia de chave pública.

HTML

Um aplicativo da linguagem SGML que usa marcas para identificar elementos, como texto e gráficos, em um documento para indicar como navegadores da Web devem exibir estes elementos para o usuário e responder a ações do usuário.

Visualizador de HTML

Elemento da UI que consiste em uma barra de ferramentas de relatório e em outros elementos de navegação para trabalhar com um relatório.

OLAP híbrido

Um modo de armazenamento que usa uma combinação de estruturas de dados multidimensionais e tabelas de banco de dados relacional para armazenar dados multidimensionais.

Linguagem HTML

Um aplicativo da linguagem SGML que usa marcas para identificar elementos, como texto e gráficos, em um documento para indicar como navegadores da Web devem exibir estes elementos para o usuário e responder a ações do usuário.

campo de identificação

Campo ou grupo de campos que identificam uma entidade como objeto exclusivo.

relação de identificação

Uma relação onde a chave primária da entidade principal faz parte da chave primária da entidade dependente. Neste tipo de relação, a entidade dependente não pode existir sem a entidade principal.

coluna de identidade

Uma coluna em uma tabela à qual a propriedade de identidade foi atribuída.

propriedade de identidade

Uma propriedade que gera valores que identificam exclusivamente cada linha em uma tabela.

ideograma

Um caractere em um sistema de escrita asiática que representa um conceito ou uma ideia, mas não uma palavra ou uma pronúncia específica.

caractere de ideograma

Um caractere em um sistema de escrita asiática que representa um conceito ou uma ideia, mas não uma palavra ou uma pronúncia específica.

IEC

Uma de duas agências de padrões internacionais responsáveis por desenvolver padrões de comunicação de dados internacionais. A IEC (International Electrotechnical Commission) trabalha intimamente com a ISO (International Organization for Standardization) para definir padrões de computação. Em conjunto, elas publicaram o padrão ISO/IEC SQL-92 para SQL.

assinatura de atualização imediata

Uma assinatura em uma publicação transacional na qual o usuário pode fazer modificações de dados no Assinante. Em seguida, as modificações de dados são propagadas imediatamente para o Publicador usando o protocolo 2PC.

conversão implícita de cursor

O retorno de um tipo de cursor diferente daquele que o usuário havia declarado.

transação implícita

Uma opção de conexão na qual cada instrução SQL executada pela conexão é considerada uma transação separada.

permissão implícita

Permissão para executar uma atividade específica para uma função.

fonte de dados inativa

Uma fonte de dados que teve o backup feito no servidor de DPM mas não está mais sendo protegida ativamente.

índice com colunas incluídas

Um índice não clusterizado que contém colunas de chaves e de não chaves.

mensagem de entrada

Uma mensagem que foi enviada por um ou mais sistemas de transferência de mensagens. Ela pode ter sido enviada somente para você ou para muitos outros destinatários. Mensagens de entrada são colocadas dentro uma pasta de recebimento designada para guardar mensagens de uma classe específica. Você pode configurar uma pasta de recebimento diferente para cada classe de mensagem que você trata ou usar uma pasta para todas as classes.

atualização incremental

O conjunto de operações que adiciona novos membros a um cubo ou dimensão existente, ou que adiciona novos dados a uma partição.

associação independente

Uma associação entre entidades que é representada e rastreada por um objeto independente.

Página IAM

Uma página que mapeia as extensões em uma parte de 4 GB de um arquivo de banco de dados que é usada por uma unidade de alocação.

página de índice

Uma página de banco de dados que contém linhas de índice.

exibição indexada

Uma exibição com um índice clusterizado exclusivo foi aplicado para melhorar o desempenho de alguns tipos de consulta.

ataque de inferência

Um tipo de ameaça à segurança na qual um usuário mal-intencionado pode derivar o valor dos dados sem realmente acessá-los, por exemplo, monitorando o tempo de resposta a uma consulta.

modelo de informações

Um esquema orientado por objeto que define as construções de metadados usadas para especificar a estrutura e o comportamento de um aplicativo, de um processo, de um componente ou de um artefato de software.

tecnologia da informação

O nome formal para o departamento de processamento de dados de uma empresa.

instantâneo inicial

Arquivos que incluem esquema e dados, restrições, propriedades estendidas, índices, gatilhos e tabelas do sistema que são necessários para replicação.

sincronização inicial

A primeira sincronização de uma assinatura, durante a qual as tabelas do sistema e outros objetos necessários para a replicação, e o esquema e os dados de cada artigo, são copiados no Assinante.

fita inicial

Em um conjunto de mídias que usa dispositivos de backup de fita, a primeira fita em uma família de mídia.

junção interna

Uma operação que recupera linhas de várias tabelas de origem por meio da comparação dos valores de colunas compartilhadas entre as tabelas de origem. Uma junção interna exclui linhas de uma tabela de origem que não têm nenhuma linha correspondente nas outras tabelas de origem.

autenticação pessoalmente

Autenticação física para concluir uma transação de solicitação de certificado. Por exemplo, um usuário final que solicita que seu PIN (número de identificação pessoal) seja desbloqueado visitará um gerente de certificado pessoalmente para fornecer autenticação pessoalmente com identificação, por exemplo um crachá de funcionário ou carteira de habilitação.

InProc

Uma circunstância onde o código do objeto COM é carregado de um arquivo de DLL e está localizado no mesmo processo que o cliente.

adaptador de entrada

Um adaptador que aceita fluxos de eventos de entrada de origens externas, tais como bancos de dados, arquivos, ticker feeds, portas de rede, dispositivos de fabricação etc.

membro de entrada

Um membro cujo valor é carregado diretamente da fonte de dados em vez de ser calculado de outros dados.

conjunto de entrada

O conjunto de dados fornecido a uma expressão de valor de linguagem MDX na qual a expressão opera.

fonte de entrada

Qualquer tabela, exibição ou diagrama de esquema usado como uma fonte de informações para uma consulta.

fluxo de entrada

Um fluxo de informações usadas em um programa como uma sequência de bytes que são associados a uma tarefa ou destino específico. Fluxos de entrada incluem série de caracteres lidos do teclado para a memória e blocos de dados lidos de arquivos em disco.

cursor insensível

Um cursor que não reflete a modificação feita nos dados subjacentes por outros usuários enquanto o cursor está aberto.

evento de inserção

O tipo de evento usado para significar a chegada de um evento ao fluxo. O tipo de evento de inserção consiste em metadados que definem o tempo de vida válido do evento e os campos de carga (dados) do evento.

consulta Insert Into

Uma consulta que copia colunas e linhas específicas de uma tabela para outra ou para a mesma tabela.

consulta Insert Values

Uma consulta (instrução SQL) que cria uma linha nova e insere valores em colunas especificadas.

instância

Uma cópia do SQL Server em execução em um computador.

provedor de controle de instâncias

Um provedor que permite emitir comandos de controle em relação a instâncias de fluxo de trabalho em um repositório de instâncias. Por exemplo, um provedor de controle SQL permite que você suspenda, retome ou finalize instâncias armazenadas em um banco de dados do SQL Server. Quando você executar um cmdlet que controla uma instância de fluxo de trabalho em um repositório de instâncias, o cmdlet internamente usará o provedor de controle para que aquele repositório de instância envie comandos à instância.

provedor de consulta de instâncias

Um provedor que permite emitir consultas em relação a um repositório de instâncias. Por exemplo, um provedor de consulta SQL permite consultar instâncias de fluxo de trabalho armazenadas em um banco de dados do SQL Server. Quando você executar um cmdlet que consulta instâncias em relação a um repositório de instâncias, o cmdlet internamente usará o provedor de consulta para recuperar instâncias do repositório.

repositório de instâncias

Um conjunto de tabelas de banco de dados que armazenam estado de instância de fluxo de trabalho e metadados de instância de fluxo de trabalho.

provedor de repositório de instâncias

No Windows AppFabric, um provedor que permite criar objetos de repositório de instâncias. Por exemplo, um provedor de repositório de SQL permite que os clientes criem objetos de repositório de instâncias de fluxo de trabalho do SQL que, por sua vez, permitem que os clientes salvem e recuperem instâncias de fluxo de trabalho para e de um repositório de persistência.

integração

Em computação, a combinação de atividades diferentes, programas ou componentes de hardware em uma unidade funcional.

integridade

A exatidão de dados e sua conformidade com o valor esperado, principalmente depois de sua transmissão ou processamento.

restrição de integridade

Uma propriedade definida em uma tabela que impede que modificações de dados criem dados inválidos.

bloqueio intencional

Um bloqueio colocado em um nível de uma hierarquia de recursos para proteger bloqueios exclusivos ou compartilhados em recursos de nível inferior.

intenção-compartilhamento

Um bloqueio colocado em um nível de uma hierarquia de recursos para proteger bloqueios exclusivos ou compartilhados em recursos de nível inferior.

SQL interativo

Um utilitário de prompt de comando interativo fornecido com o SQL Server que permite que usuários executem instruções ou lotes Transact-SQL de um servidor ou de uma estação de trabalho e exiba os resultados retornados.

interface

Um conjunto definido de propriedades, métodos e coleções que formam um agrupamento lógico de comportamentos e dados.

implicação de interface

Se uma interface implicar em outra interface, qualquer classe que implemente a primeira interface deverá implementar também a segunda interface. A implicação de interface é usada em um modelo de informações para obter alguns dos efeitos de várias heranças.

linguagem intermediária

Uma linguagem de computador usada como uma etapa intermediária entre a linguagem fonte original, geralmente uma linguagem de alto nível, e a linguagem de destino, normalmente código de máquina. Alguns compiladores de alto nível usam linguagem assembly como uma linguagem intermediária.

International Electrotechnical Commission

Uma de duas agências de padrões internacionais responsáveis por desenvolver padrões de comunicação de dados internacionais. A IEC (International Electrotechnical Commission) trabalha intimamente com a ISO (International Organization for Standardization) para definir padrões de computação. Em conjunto, elas publicaram o padrão ISO/IEC SQL-92 para SQL.

Protocolo IPSec

Um conjunto de serviços padrão da indústria baseados em criptografia e protocolos que ajudam a proteger dados em uma rede.

comunicação entre processos

A capacidade de uma tarefa ou process comunicar-se com outro em um sistema operacional multitarefa. Métodos comuns incluem pipes, semáforos, memória compartilhada, filas, sinais e caixas postais.

evento de intervalo

Um evento cuja carga é válida para um determinado período. Os metadados do evento de intervalo exigem que as horas de início e de término do intervalo sejam fornecidas nos metadados do evento. Os eventos de intervalo só são válidos para esse intervalo específico.

modelo de evento de intervalo

O modelo de evento de um evento de intervalo.

operação de invocação

Uma operação de domínio que é executada sem rastreamento ou execução diferida.

Endereço IP

Um número binário que identifica exclusivamente um host (computador) conectado à Internet a outros hosts de Internet, com a finalidade de comunicação por meio da transferência de pacotes.

IPC

A capacidade de uma tarefa ou process comunicar-se com outro em um sistema operacional multitarefa. Métodos comuns incluem pipes, semáforos, memória compartilhada, filas, sinais e caixas postais.

IPsec

Um conjunto de serviços padrão da indústria baseados em criptografia e protocolos que ajudam a proteger dados em uma rede.

nível de isolamento

A propriedade de uma transação que controla o grau em que os dados são isolados para uso por um processo e protegidos contra interferência de outros processos.

ISQL

Um utilitário de prompt de comando interativo fornecido com o SQL Server que permite que usuários executem instruções ou lotes Transact-SQL de um servidor ou de uma estação de trabalho e exiba os resultados retornados.

item

Uma unidade de dados ou metadados que está sendo sincronizada. Um item de dados típico que pode ser um arquivo ou um registro, enquanto que um item de metadados típico pode ser um item de conhecimento.

atribuição de função em nível de item

Uma política de segurança que se aplica a um item no namespace da pasta do servidor de relatório.

definição de função em nível de item

Um modelo de segurança que define uma função usada para controlar o acesso ou a interação com um item no namespace da pasta do servidor de relatório.

iterar

Executar uma ou mais instruções ou instruções repetidamente. Instruções executadas dessa maneira são chamadas de instruções em loop.

trabalho

Uma série especificada de operações e etapas chamadas, executadas em sequência por um programa para concluir uma ação.

histórico do trabalho

Log que mantém um registro histórico de trabalhos.

join

Combinar o conteúdo de duas ou mais tabelas e produzir um conjunto de resultados que incorpora linhas e colunas de cada tabela. Tabelas são geralmente unidas usando dados que têm em comum.

coluna de junção

Uma coluna referenciada em uma condição de junção.

condição de junção

Uma cláusula de comparação que especifica como as tabelas estão relacionadas pelas suas colunas de junção.

filtro de junção

Um filtro usado em replicação de mesclagem que estende o filtro de linha de uma tabela para uma tabela relacionada.

operador de junção

Um operador de comparação em uma condição de junção que determina como são avaliados os dois lados da condição e quais linhas são retornadas.

caminho de junção

Uma série de junções que indicam como duas tabelas estão relacionadas.

tabela de junção

Uma tabela que estabelece uma relação entre outras tabelas.

gráfico Kagi

Um gráfico, na maioria das vezes independente de tempo, usado para acompanhar movimentos de preço e decisões relacionadas a compra de estoque.

chave

Uma cadeia de caracteres que identifica um objeto no cache. Essa cadeia de caracteres deve ser exclusiva dentro de uma região. Os objetos são associados a uma chave quando são adicionados e, em seguida, recuperados com a mesma chave.

chave

Em criptografia, autenticação e assinaturas digitais, um valor usado em combinação com um algoritmo para criptografar ou descriptografar informações.

chave

Em uma matriz, o campo pelo qual os dados armazenados são organizados e acessados.

chave

Uma coluna ou um grupo de colunas que identifica exclusivamente uma linha (chave primária), define a relação entre duas tabelas (chave estrangeira) ou é usada para criar um índice.

atributo de chave

O atributo de uma dimensão que vincula os atributos não chave na dimensão para medidas relacionadas.

coluna de chave

Uma coluna cujo conteúdo identifica exclusivamente cada linha em uma tabela.

gerador de chave

Um componente de hardware ou software que é usado para gerar material de chave de criptografia.

indicador chave de desempenho

Uma medida predefinida que é usada para rastrear o desempenho de uma meta estratégica, objetivo, plano, iniciativa ou processo empresarial. Um KPI é avaliado em relação a um destino. Um valor explícito e mensurável levado diretamente de uma fonte de dados. KPIs (indicadores chave de desempenho) são usados para medir desempenho em uma área específica, por exemplo, renda por cliente.

bloqueio de intervalo de chaves

Um bloqueio usado para bloquear intervalos entre registros em uma tabela para impedir adições fantasmas em um conjunto de registros ou exclusões desse conjunto. Assegura transações serializáveis.

recuperação de chave

O processo de recuperar a chave privada de um usuário.

agente de recuperação de chave

Um usuário designado que trabalha com um administrador de certificado para recuperar a chave privada de um usuário. Um modelo de certificado específico é aplicado a um Agente de Recuperação de Chave.

cursor controlado por conjunto de chaves

Um cursor que mostra os efeitos das atualizações feitas nas linhas de seu membro por outros usuários, enquanto o cursor está aberto, mas que não mostra os efeitos de inserções ou de exclusões.

conhecimento

Os metadados sobre todas as alterações que um participante viu e mantém.

KPI

Uma medida predefinida que é usada para rastrear o desempenho de uma meta estratégica, objetivo, plano, iniciativa ou processo empresarial. Um KPI é avaliado em relação a um destino. Um valor explícito e mensurável levado diretamente de uma fonte de dados. KPIs (indicadores chave de desempenho) são usados para medir desempenho em uma área específica, por exemplo, renda por cliente.

KRA

Um usuário designado que trabalha com um administrador de certificado para recuperar a chave privada de um usuário. Um modelo de certificado específico é aplicado a um Agente de Recuperação de Chave.

Idioma para programas não Unicode

Uma configuração de Opções Regionais e de Idioma que especifica as páginas de código padrão e arquivos de fonte de bitmap associados para um computador específico que afeta todos os usuários desse computador. As páginas de código padrão e fontes permitem que um aplicativo não Unicode gravado para uma versão de idioma de sistema operacional seja executado corretamente em outra versão de idioma de sistema operacional.

analisador de serviço de linguagem

Um componente que é usado para descrever as funções e o escopo dos tokens no código-fonte.

identificador de serviço de linguagem

Um componente que é usado para identificar tipos de tokens em código-fonte. Estas informações são usadas para realçar a sintaxe e para identificar rapidamente tipos de tokens que podem disparar outras operações, por exemplo, correspondência de chave.

trava

Um objeto de sincronização de curto prazo que protege ações que precisam não ser bloqueadas para a vida de uma transação. Uma trava é usada principalmente para proteger uma linha que o mecanismo de armazenamento está transferindo ativamente de uma tabela base ou índice para o mecanismo relacional.

latência

O atraso que ocorre enquanto os dados são processados ou entregues.

carregamento preguiçoso

Um padrão de carregamento de dados onde objetos relacionados não são carregados até que uma propriedade de navegação seja acessada.

validação de esquema lenta

Uma opção que atrasa a verificação do esquema remoto para validar seus metadados em relação a uma consulta até a execução a fim de aumentar o desempenho. 

byte inicial

O valor de byte que é a primeira metade de um caractere de byte duplo.

host principal

Um host de cache que foi designado para trabalhar com outros hosts principais e para manter o cluster em execução o tempo todo.

folha

Um nó sem objetos filho representados na árvore.

nível folha

O nível inferior de um índice clusterizado ou não clusterizado ou o nível inferior de uma hierarquia.

membro folha

Um membro que não tem descendentes.

nó folha

Um nó sem objetos filho representados na árvore.

conhecimento adquirido

O conhecimento atual de uma réplica de origem sobre um conjunto de alterações específico e os conflitos da réplica registrados em log.

menos usado recentemente

O tipo de despejo usado pelo cluster de cache, onde os objetos usados menos recentemente são despejados antes dos objetos usados mais recentemente.

junção externa esquerda

Um tipo de junção externa na qual todas as linhas da tabela mais à esquerda na cláusula JOIN são incluídas. Quando as linhas na tabela esquerda não correspondem às linhas na tabela direita, todas as colunas do conjunto de resultados que vêm da tabela direita são atribuídas um valor NULL.

nível

O nome de um conjunto de membros em uma hierarquia de dimensão, de forma que todos os membros do conjunto estejam na mesma distância da raiz da hierarquia. Por exemplo, uma hierarquia de tempo pode conter os níveis de Ano, Mês e Dia.

gráfico de comparação de precisão

No Analysis Services, um gráfico que compara a exatidão das previsões de cada modelo de mineração de dados no conjunto de comparações.

lightweight pooling

Uma opção que fornece um meio de reduzir a sobrecarga do sistema associada com a alternância excessiva de contexto, às vezes encontrada em ambientes SMP (multiprocessamento simétrico), executando a alternância de contexto embutido, ajudando, assim, a reduzir transições de usuário/anel kernel.

camada de linha

A camada em um relatório de mapa que exibe dados espaciais como linhas; por exemplo, linhas que indicam caminhos ou rotas.

dimensão vinculada

Uma referência em um cubo a uma dimensão em outro cubo (ou seja, um cubo com uma exibição da fonte de dados diferente que existe no mesmo banco de dados ou em um banco de dados diferente do Analysis Services). Uma dimensão vinculada só pode estar relacionada a grupos de medidas no cubo de origem e só pode ser editada no banco de dados de origem.

grupo de medidas vinculado

Uma referência em um cubo a um grupo de medidas em outro cubo (ou seja, um cubo com uma exibição da fonte de dados diferente que existe no mesmo banco de dados ou em um banco de dados diferente do Analysis Services). Um grupo de medidas vinculado só pode ser editado no banco de dados de origem.

servidor vinculado

Uma definição de uma fonte de dados OLE DB usada pelas consultas distribuídas do SQL Server. A definição de servidor vinculado especifica o provedor OLE DB necessário para acessar os dados e inclui informações de endereçamento suficientes para o provedor OLE DB conectar-se aos dados.

tabela vinculada

Um conjunto de linhas OLE DB exposto por uma fonte de dados OLE DB que foi definido como um servidor vinculado para uso em consultas distribuídas do SQL Server.

tabela de vinculação

Uma tabela que tem associações com duas outras tabelas e é usada indiretamente como uma associação entre essas duas tabelas.

Linq

Uma sintaxe de consulta que define um conjunto de operadores de consulta que permitem expressar operações de passagem, de filtro e de projeção de um modo direto, declarativo em qualquer linguagem de programação com base em .NET.

little endian

Pertencente a uma arquitetura de memória de processador que armazena números para que o byte menos significante seja posicionado primeiro.

cache local

Um recurso que habilita a salva de cópias desserializadas de objetos armazenados em cache na memória do mesmo processo que executa o aplicativo habilitado por cache.

Distribuidor local

Um servidor configurado como um Publicador e um Distribuidor para Replicação do SQL Server.

exibição particionada local

Uma exibição que une dados particionados horizontalmente de um conjunto de tabelas membro através de um único servidor, fazendo com que os dados pareçam ser de uma tabela.

assinatura local

Uma assinatura em uma publicação de mesclagem que usa o valor de prioridade do Publicador para detecção e resolução de conflitos.

localidade

Uma coleção de regras e dados específicos de um idioma e de uma área geográfica. As localidades incluem informações sobre como classificar regras, a formação de data e hora, as convenções numérica e monetária e a classificação de caractere.

localização

O processo de adaptar um produto e/ou conteúdo (inclusive elementos de texto e não texto) para atender às expectativas de idioma, culturais e políticas e/ou os requisitos de um mercado local específico (localidade).

lock

Uma restrição no acesso a um recurso em um ambiente multiusuário.

escalonamento de bloqueios

O processo de converter muitos bloqueios refinados em poucos bloqueios de alta granularidade, reduzindo, assim, a sobrecarga do sistema.

backup de log

Um backup de logs de transações que inclui todos os registros de log sem backup nos backups de log anteriores. Backups de logs são necessários nos modelos de recuperação completa ou bulk-logged e não estão disponíveis no modelo de recuperação simples.

cadeia de logs

Uma sequência contínua de logs de transação para um banco de dados. Uma nova cadeia de logs começa com o primeiro backup usado depois que o banco de dados é criado ou quando o banco de dados é alternado do modelo de recuperação simples para o completo ou bulk-logged. A bifurcação de uma cadeia de logs depois de uma restauração seguida de uma recuperação, criando uma nova ramificação de recuperação.

provedor de log

Um provedor que registra informações de pacote em tempo de execução. O Integration Services inclui uma variedade de provedores de log que possibilitam a captura de eventos durante a execução de pacote. Os logs são criados e armazenados em formatos como XML, texto, banco de dados ou no log de eventos do Windows.

Agente de Leitor de Log

Na Replicação, o executável que monitora a transação de cada banco de dados configurado para replicação transacional e copia as transações marcadas para replicação da transação no banco de dados de distribuição.

número de sequência de log

Um número exclusivo atribuído a cada entrada em um log de transações. LSNs são atribuídos em sequência de acordo com a ordem na qual são criadas entradas.

envio de logs

A cópia, em intervalos regulares, do backup de log de um banco de dados de leitura-gravação (o banco de dados primário) em uma ou mais instâncias de servidor remotas (servidores secundários). Cada servidor secundário tem um banco de dados somente leitura, denominado banco de dados secundário, que foi criado para restaurar um backup completo do banco de dados primário sem recuperação. O servidor secundário restaura cada backup de log copiado no banco de dados secundário. Os servidores secundários são esperas passivas para o servidor primário.

configuração de envio de logs

Um único servidor primário, um ou mais servidores secundários (cada um com um banco de dados secundário) e um servidor monitor.

trabalho de envio de logs

Um trabalho que executa uma das seguintes operações de envio de logs: backup do log de transações do banco de dados primário no servidor primário (o trabalho de backup), cópia do arquivo de log de transações em um servidor secundário (o trabalho de cópia) ou restauração do backup de log no banco de dados secundário em um servidor secundário (o trabalho de restauração). O trabalho de backup reside no servidor primário; os trabalhos de cópia e restauração residem em cada servidor secundário. Consulte também: banco de dados primário, servidor primário, banco de dados secundário, servidor secundário.

coletor de logs

Uma função de rastreamento do cliente de cache e host de cache. Os coletores de logs capturam eventos de rastreamento do cliente de cache ou host de cache e podem exibi-los em um console, gravá-los em um arquivo de log ou relatá-los na estrutura de ETW (Rastreamento de Eventos do Windows) no Windows.

erro lógico

Um erro, como um algoritmo com falha, que leva um programa a gerar resultados incorretos mas não impede sua execução. Portanto, em geral é difícil localizar um erro lógico.

nome lógico

Um nome usado pelo SQL Server para identificar um arquivo.

registro lógico

Um recurso de replicação de mesclagem que permite definir uma relação entre linhas relacionadas em diferentes tabelas para que as linhas sejam processadas como uma unidade.

ID de logon

Uma cadeia de caracteres que é usada para identificar um usuário ou um entidade para um sistema operacional, serviço de diretório ou sistema distribuído. Por exemplo, na autenticação integrada do Windows®, um nome de logon usa o formato 'DOMÍNIO\nome_usuário'.

modo de segurança de logon

Um modo de segurança que determina a maneira pela qual uma instância do SQL Server valida uma solicitação de logon.

análise longa

No sistema SQL há dois tipos típicos de threads: - thread curto: é um processo que usa os recursos durante pouco tempo e - thread longo: é um processo que usa os recursos durante muito tempo. análise longa: é a análise dos threads que estiveram ativos durante muito tempo. Observação: a definição de curto/longo é baseada no cálculo/estatística do sistema de cada processo.

caixa baixa

O valor mais baixo de uma caixa em um gráfico de caixa.

marca d'água baixa

Um limite de consumo de memória em cada host de cache que especifica quando objetos expirados são despejados para fora de memória.

caixa estreita baixa

O valor mais baixo que não é um valor discrepante em um gráfico de caixa.

LRU

O tipo de despejo usado pelo cluster de cache, onde os objetos usados menos recentemente são despejados antes dos objetos usados mais recentemente.

LSN

Um número exclusivo atribuído a cada entrada em um log de transações. LSNs são atribuídos em sequência de acordo com a ordem na qual são criadas entradas.

ataque de atração

Um ataque em que o cliente é atraído para se conectar voluntariamente ao invasor.

conhecimento atual

Em processos de sincronização, o conhecimento atual da réplica de origem, a ser usado na detecção de conflitos.

Gerenciar Relações

Um elemento de IU que permite a um usuário exibir, excluir ou criar novas relações em um modelo.

código gerenciado

Código executado pelo ambiente Common Language Runtime, e não diretamente pelo sistema operacional. Aplicativos de código gerenciado adquirem serviços de Common Language Runtime, como coleta de lixo automática, verificação de tipo em tempo de execução, suporte de segurança e assim por diante. Esses serviços ajudam a fornecer uma plataforma uniforme, bem como comportamento independente da linguagem de aplicativos de código gerenciado.

instância gerenciada

Uma instância do SQL Server monitorada por um ponto de controle do utilitário.

data warehouse de gerenciamento

Um banco de dados relacional que é usado para armazenar dados coletados.

política de gerenciamento

Uma definição dos fluxos de trabalho usada para gerenciar certificados em um modelo de perfil CLM (Certificate Lifecyle Manager). Uma política de gerenciamento define quem executa as tarefas de gerenciamento específico nos fluxos de trabalho e fornece detalhes de gerenciamento para o ciclo de vida inteiro dos certificados no modelo de perfil.

Management Studio

Um pacote de ferramentas de gerenciamento fornecido com o Microsoft SQL Server por configurar, gerenciar e administrar todos os componentes do Microsoft SQL Server.

failover manual

Em uma sessão de espelhamento de banco de dados, um failover iniciado pelo proprietário do banco de dados, enquanto o servidor principal ainda estiver em execução, que transfere o serviço do banco de dados principal para o banco de dados espelho, enquanto eles estão em um estado sincronizado.

dimensão muitos para muitos

Uma relação entre uma dimensão e um grupo de medidas na qual um único fato pode estar associado a muitos membros de dimensão e um único membro de dimensão pode estar associado a muitos fatos. Para definir esta relação entre a dimensão e a tabela de fatos, a dimensão é unida a uma tabela de fatos intermediária e a tabela de fatos intermediária, por sua vez, é unida a uma tabela de dimensão intermediária, que é unida a uma tabela de fatos.

relação muitos para um

Uma relação entre duas tabelas em que uma linha em uma tabela pode se relacionar com muitas linhas em outra tabela.

mapa

Associar dados a um local especificado na memória.

controle de mapa

Um controle JavaScript que contém os objetos, métodos e eventos necessários para exibir mapas ativados pelo Bing Maps™ no site.

galeria de mapas

Uma galeria que contém mapas de relatórios localizados na pasta da galeria de mapas do ambiente de criação de relatórios.

camada do mapa

Um elemento filho do mapa, cada camada do mapa, incluindo elementos dos membros e atributos de membros de mapa.

resolução do mapa

A exatidão na qual o local e o formato de recursos de mapa podem ser descritos para determinada escala de mapa. Em um mapa de escala grande (por exemplo, uma escala de mapa de 1:1), há menos redução de recursos do que os que são mostrados em um mapa de escala pequena (por exemplo, 1:1.000.000). 1:1,000,000).

peça de mapa

Uma entre várias imagens de 256 x 256 pixels que são combinadas para criar um mapa do Bing. Uma peça de mapa contém um segmento de uma exibição da terra em projeção de Mercator, com possível sobreposição de estrada e texto, dependendo do estilo do mapa de Bing.

visor do mapa

A área do mapa a ser exibida no item de relatório do mapa. Por exemplo, um mapa para todos os Estados Unidos pode ser inserido em um relatório, mas somente a área dos estados do noroeste é exibida.

MAPI

Uma arquitetura de transferência de mensagens que habilita vários aplicativos a interagir com vários sistemas de transferência de mensagens em diversas plataformas de hardware. A MAPI é compilada na base COM (Component Object Model).

mapeador

Um componente que mapeia objetos.

marcador

Um indicador visual que identifica um ponto de dados. Em um relatório de mapa, um marcador é o indicador visual que identifica a localização de cada ponto na camada de ponto.

mapa de marcador

Um mapa que exibe um marcador em cada local (por exemplo, cidades) e varia cor de marcador, tamanho e tipo.

análise da cesta de compras

Um algoritmo de mineração de dados padrão que analisa uma lista de transações para fazer previsões sobre quais itens são comprados mais frequentemente em conjunto.

dados mestres

Os dados críticos de um negócio, como cliente, produto, local, funcionário e recurso. Os dados mestres costumam ser classificados em quatro agrupamentos: pessoas, coisas, locais e conceitos. Também podem pertencer a outras categorias. Por exemplo, dentro de pessoas, estão incluídos cliente, funcionário e vendedor. Dentro de coisas, encontram-se produto, parte, repositório e recurso. Dentro de conceitos, encontramos contrato, afiançado e licenças. Finalmente, dentro de locais, estão incluídos locais de escritório e divisões geográficas.