Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Gerenciar o ciclo de vida de instâncias da função VM no Windows Azure

Atualizado: março de 2011

[O recurso da função VM do Windows Azure está para ser retirado em 15 de maio de 2013. Depois da data de baixa, implantações da função VM serão excluídas. Para avançar com seus aplicativos existentes, você pode usar as Máquinas Virtuais do Windows Azure. Para obter mais informações sobre como usar Máquinas Virtuais para seu aplicativo, consulte Moving from VM Role to Windows Azure Virtual Machines (Mudando de Função VM para Máquinas Virtuais do Windows Azure).

O processo de desenvolvimento de uma função VM começa com a criação e a personalização de uma imagem do Windows Server 2008 R2 e o seu carregamento no repositório de imagens do Windows Azure. Depois de carregar uma imagem de servidor, ela permanece no repositório até que você a exclua. Quando você implanta o serviço de nuvem no Windows Azure, a imagem do servidor referenciada no arquivo de configuração do serviço é aplicada para criar o número especificado de instâncias da função VM, e cada uma delas executa a versão personalizada do Windows Server definido pela sua imagem.

A instância da função VM é uma instância nomeada da imagem executada em exatamente uma máquina virtual em um determinado momento. A máquina virtual na qual a instância da função VM é executada pode ser alterada com o tempo. Quando você refaz a imagem de uma instância ou quando o Windows Azure refaz a imagem devido a uma falha momentânea, a máquina virtual é desligada e todas as informações de estado que não foram persistidas serão perdidas. Quando a instância da função VM fica online novamente, uma nova máquina virtual é criada a partir da imagem. Se o seu serviço exigir que o estado seja restaurado, você deverá implementar o processo para persistir e restaurar o estado você mesmo. As opções para persistir o estado incluem a gravação dele em um blob ou em uma unidade do Windows Azure.

noteObservação
Uma função VM sempre executa uma implantação com base em imagem do sistema operacional. A máquina virtual na qual uma instância da função VM é executada é um ambiente transitório; a própria máquina virtual nunca é movida de um computador host físico para outro.

Quando você implanta uma imagem, ela é somente leitura e permanece somente leitura; o Windows Azure nunca grava diretamente em sua imagem. Como a imagem é somente leitura e a instância da função VM precisa gravar os dados da Instalação do Windows quando ela fica online e outros dados do sistema ao longo de seu ciclo de vida, o Windows Azure cria um VHD adicional efêmero no qual pode gravar. Não é possível acessar o VHD gravável diretamente nem mantê-lo diretamente quando a instância fica offline. Quando a imagem da instância da função VM é refeita, um novo VHD efêmero é criado no processo de colocar a instância online novamente em uma nova VM.

O diagrama a seguir mostra como uma imagem é implantada no Windows Azure e aplicada para criar instâncias da função VM:

VMRoleDeployment

Sempre que uma nova imagem é implantada ou a imagem de uma instância da função VM é refeita, o Windows Azure cria uma máquina virtual para a instância e inicia o sistema operacional pela primeira vez. Durante esse processo, a Instalação do Windows é executada em um modo automatizado, configurando a si própria a partir de informações fornecidas no arquivo de resposta (c:\unattend.xml). Em seguida, o sistema operacional é reiniciado automaticamente para concluir o processo de instalação. Após a reinicialização do sistema operacional, os serviços de início automático são iniciados. Depois que todos os serviços de início automático são iniciados, o Windows Azure coloca a instância da função VM na rotação do balanceador de carga e ela começa a receber tráfego.

Uma instância pode ser reiniciada infinitamente. O Windows mantém todos os dados entre as reinicializações. Quando você refaz a imagem uma instância da função VM, ela é recriada a partir da imagem e qualquer estado que você não tenha explicitamente persistido será perdido. Os dados gravados no diretório de recursos de armazenamento local são mantidos quando a imagem de uma instância de servidor é refeita; no entanto, esses dados podem ser perdidos no caso de uma falha momentânea no Windows Azure que exija que a instância da função VM seja movida para um hardware diferente.

O diagrama a seguir mostra o ciclo de vida de uma instância da função VM desde o momento da aplicação da imagem até o momento que a imagem da instância é refeita. Também mostra o ciclo de vida de uma sessão do Windows no ciclo de vida da imagem, desde o momento em que o sistema operacional é primeiramente iniciado até quando ele é reiniciado.

VMRoleLifecycle

Após a implantação do aplicativo, é atribuído a ele um endereço IP virtual (VIP - Virtual IP Address) exclusivo, gerenciado pelo balanceador de cargas. O balanceador de carga manipula o roteamento do tráfego para as instâncias em execução. A cada instância é atribuída um endereço IP dinâmico, que é acessível a outros componentes de seu serviço de nuvem, mas não ao tráfego de Internet.

Consulte Também

Contribuições da comunidade

Mostrar:
© 2014 Microsoft