Exportar (0) Imprimir
Expandir Tudo

Visão geral da Rede de Fornecimento de Conteúdo (CDN) do Azure

Atualizado: julho de 2013

A CDN (Rede de Fornecimento de Conteúdo) do Azure armazena em cache blobs do Azure e conteúdo estático usado por serviços de nuvem em locais estrategicamente colocados para fornecer máxima largura de banda no fornecimento de conteúdo aos usuários.

Se você for um cliente CDN existente, agora poderá gerenciar seus pontos de extremidade da CDN através do Portal de Gerenciamento do Azure.

noteObservação
Note que a CDN tem um plano de cobrança separado do Armazenamento do Azure ou de Serviços de Nuvem do Azure.

A CDN oferece aos desenvolvedores uma solução global para fornecer conteúdo de alta largura de banda armazenando o conteúdo em cache em nós físicos ao redor do mundo. Para obter uma lista atual dos locais do nó da CDN, consulte Locais de nó da Rede de Fornecimento de Conteúdo (CDN) do Azure.

Os benefícios de usar a CDN para armazenar em cache dados do Azure são:

  • Melhor desempenho e experiência para usuários finais que estão distantes de uma fonte de conteúdo e que estão usando aplicativos em que muitas "viagens na Internet" são necessárias para carregar o conteúdo

  • Distribuição em larga escala para lidar melhor com a alta carga instantânea, por exemplo, no início de um evento como o lançamento de um produto.

noteObservação
Quando você cria ou habilita um ponto de extremidade da CDN, ele pode levar até 60 minutos para ser propagado no mundo todo.

Quando uma solicitação por um objeto é feita pela primeira vez à CDN, o objeto é lido e recuperado diretamente do serviço Blob ou do serviço em nuvem. Quando uma solicitação é feita usando a sintaxe da CDN, ela é redirecionada ao ponto de extremidade da CDN mais próximo do local de onde a solicitação foi feita para fornecer acesso ao objeto. Se o objeto não for encontrado nesse ponto de extremidade, ele será recuperado do serviço e armazenado em cache no ponto de extremidade, onde uma configuração de vida útil é mantida para o objeto armazenado em cache.

Assim que a CDN é habilitada em uma conta de armazenamento do Azure, todos os blobs que estiverem em contêineres públicos e disponíveis para acesso anônimo serão armazenados em cache por meio da CDN. Somente blobs que estiverem publicamente disponíveis podem ser armazenados em cache com a CDN do Azure. Para tornar um blob publicamente disponível para acesso anônimo, é preciso marcar seu contêiner como público. Ao fazer isso, todos os blobs dentro desse contêiner estarão disponíveis para acesso de leitura anônimo. Você também tem a opção de tornar públicos os dados do contêiner ou de restringir o acesso somente aos blobs dentro dele. Consulte Restringir o acesso a contêineres e blobs para obter informações sobre como gerenciar o controle de acesso para contêineres e blobs.

Para obter melhor desempenho, use o cache de borda da CDN para fornecer blobs com menos de 10 GB.

Quando você habilita o acesso de CDN para uma conta de armazenamento, o Portal de gerenciamento fornece um nome de domínio CDN neste formato: http://<identifier>.vo.msecnd.net/. Esse nome de domínio pode ser usado para acessar blobs em um contêiner público. Por exemplo, em um contêiner público denominado music em uma conta de armazenamento denominada myaccount, os usuários podem acessar os blobs nesse contêiner usando uma das duas URLs a seguir:

  • URL de serviço Blob do Azure: http://myaccount.blob.core.windows.net/music/

  • URL da CDN do Azure: http://<identifier>.vo.msecnd.net/music/

Você pode armazenar em cache na CDN os objetos fornecidos por um serviço em nuvem do Azure.

O cache para serviços em nuvem tem as seguintes restrições:

  • A CDN deve ser usada para armazenar em cache apenas conteúdo estático.

    WarningAviso
    O caching de conteúdo verdadeiramente dinâmico ou altamente volátil pode afetar negativamente seu desempenho ou gerar problemas de conteúdo, tudo com um aumento de custo.

  • Seu serviço em nuvem deve ser implantado em uma implantação de produção.

  • Seu serviço em nuvem deve fornecer o objeto na porta 80 usando HTTP.

  • O serviço em nuvem deve colocar o conteúdo a ser armazenado em cache ou a ser fornecido na pasta /cdn do serviço em nuvem.

Quando você habilita o acesso de CDN para um serviço em nuvem, o Portal de gerenciamento fornece um nome de domínio CDN neste formato: http://<identifier>.vo.msecnd.net/. Esse nome de domínio pode ser usado para recuperar objetos de um serviço em nuvem. Por exemplo, em um serviço em nuvem chamado myHostedService e uma página da Web ASP.NET chamada music.aspx que fornece conteúdo, os usuários podem acessar o objeto usando uma das duas URLs a seguir:

  • URL do serviço em nuvem do Windows Azure: http://myHostedService.cloudapp.net/cdn/music.aspx

  • URL da CDN do Windows Azure: http://<identifier>.vo.msecnd.net/music.aspx

Você pode usar cadeias de caracteres de consulta para diferenciar os objetos recuperados de um serviço em nuvem. Por exemplo, se o serviço em nuvem exibir um gráfico que pode variar, você pode passar uma cadeia de caracteres de consulta para recuperar o gráfico específico necessário. Por exemplo:

http://<identifier>.vo.msecnd.net/chart.aspx?item=1

noteObservação
As cadeias de caracteres de consulta são passadas como literais de cadeia de caracteres. Se você tiver um serviço que use dois parâmetros, como ?area=2&item=1, e faz chamada subsequente ao serviço usando ?item=1&area=2, você armazenará em cache duas cópias do mesmo objeto.

O Azure permite recuperar o conteúdo da CDN usando chamadas HTTPS. Isso permite incorporar conteúdo armazenado em cache na CDN a páginas da Web seguras sem receber avisos sobre tipos mistos de conteúdo de segurança.

O acesso ao conteúdo da CDN usando HTTPS tem as seguintes restrições:

  • Você deve usar o certificado fornecido pela CDN. Os certificados de terceiros não têm suporte.

  • Você deve usar o domínio da CDN para acessar conteúdo. O suporte ao HTTPS não está disponível para nomes de domínio personalizados (CNAMEs), pois a CDN não oferece suporte a certificados personalizados no momento.

Mesmo quando HTTPS é habilitado, o conteúdo da CDN pode ser recuperado usando HTTP e HTTPS.

Para obter mais informações sobre como habilitar HTTPS para conteúdo da CDN, consulte Como habilitar a Rede de Fornecimento de Conteúdo (CDN) do Azure.

Você pode mapear o ponto de extremidade HTTP da CDN para um nome de domínio personalizado e usar esse nome para solicitar objetos da CDN.

Para obter mais informações sobre como mapear um domínio personalizado, consulte Como mapear o conteúdo da Rede de Fornecimento de Conteúdo (CDN) para um domínio personalizado.

Consulte também

Mostrar:
© 2014 Microsoft